Página 5

A Arte de Colecionar Momentos de Viagens

Acho que nunca contei aqui o começo da nossa paixão por viagens, mas a história é bem curta: desde pequenos já gostávamos de viajar. Minha sogra me contou que quando o Alê era bem pequenininho já gostava de ver os ônibus na estrada, as vezes pedia para que o levassem ao terminal só para que […]

Continue lendo → http://alquimiadoviajante.com

"Big Brother" de lutadores de sumô









Fonte: The China Watch





Continue lendo → http://crazyjapantv.blogspot.com

Colírio da Hatsune Miku: Para você não tirar os olhos dela


Em parceria com a Rohto Pharmaceutical, foi lançado o colírio da Hatsune Miku, que se chama "Digi Eye".

Esse colírio foi concebido para "as pessoas que vivem na era digital". Porque irá proteger os olhos contra os danos causados pela luz azul emitida pela tela dos aparelhos eletrônicos (computadores, PS Vita).

Com isso os fãs de Hatsune Miku poderão ficar por mais tempo com os olhos fixos na tela.


Começará a ser vendido a partir do dia 13 de julho de 2014.

Fonte: RocketNews24



Continue lendo → http://crazyjapantv.blogspot.com

FURIN – VÊM CHEGANDO O VERÃO!



Olá,

Se alguém me perguntasse se existe um som que simboliza o verão japonês, certamente responderia o tilintar emitido pelos furins.

Trazidos da China há cerca de dois mil anos atrás, através do Budismo, os Fūrin (em japonês 風鈴) são sinos de vento construídos geralmente por um cilindro de vidro com tubos suspensos. Alguns têm um papel amarrado na parte debaixo com um texto de proteção escrito. São normalmente pendurados do lado de fora das casas, apartamentos, jardins, templos ou simplesmente como um item de decoração para o jardim. São muito utilizados no verão japonês, já que o som calmo e suave emitido quando o vento balança seus pêndulos, dá uma sensação de frescor amenizando o insuportável verão japonês. 


Furins vendidos em um hyakuen shop



No passado, acreditava-se que os furins afastavam a má sorte e ajudavam a proteger as pessoas do perigo. Por isso, era comum pendurá-los nos quatro cantos de templos e santuários.

Durante os Períodos Heian (794-1185) e Kamakura (1185-1333), a aristocracia japonesa, os colocavam em suas varandas. No Período Meiji (1868-1912) tornou-se muito popular entre os japoneses, mas dizem que o preço de uma peça era equivalente a 200 a 300 milhões de ienes em dinheiro japonês de hoje. Muitas pessoas ainda se referem à ele como “Edo Furin” nome criado pelo artesão Shinohara, já que é um objeto utilizado desde aquela época até os dias atuais. 


Para todos os gostos e bolsos!


Hoje ainda existem artesãos que confeccionam furinse fazem todo o processo, desde a fundição do vidro até mesmo à pintura exclusiva feita à mão. Esse conhecimento é transmitido de pai para filho e a família Shinohara, dona da empresa Shinohara Edofurin, está em funcionamento há 4 gerações é uma das mais tradicionais no ramo.Se você quiser aprender a fazer seu próprio furin, pode fazer um workshop em Tokyo (mais informações no link abaixo).

Até mais,

Thais Fioruci


Referências:



Continue lendo → http://perdidanojapao.blogspot.com

Cozinha Super Bom – cardápio de julho de 2014


Continue lendo → http://blog.suri-emu.co.jp