Página 5

A minha experiência de intercâmbio na Austrália

Eu sempre tive vontade de aprimorar meu inglês e a melhor maneira que achei era de fazer um intercâmbio.…

O post A minha experiência de intercâmbio na Austrália apareceu primeiro em Alquimia do Viajante.


Continue lendo → http://alquimiadoviajante.com

Os Melhores restaurantes em Camburi

A charmosa praia de Camburi, no litoral norte de São Paulo, é uma ótima opção para turistas que procuram…

O post Os Melhores restaurantes em Camburi apareceu primeiro em Alquimia do Viajante.


Continue lendo → http://alquimiadoviajante.com

Aluguel de apartamento ou casa para turistas em curta temporada no Japão

Após a postagem Tóquio em 3 dias, recebi diversas mensagens via formulário de contato - visível no blog somente via web - de leitores interessados em visitar o Japão, questionando sobre os diversos tipos de hospedagens no arquipélago. Uma delas foi sobre aluguel de apartamentos para curta temporada destinados aos turistas.
Na postagem mencionada, não detalhei sobre cada uma das acomodações no Japão, nem havia citado sobre locação de apartamentos ou casas para curta temporada, já que focava destinos turísticos em Tóquio.
Vamos dar uma breve explicação sobre cada forma de hospedagem no Japão, acrescentando algumas não citadas e onde encontrar apartamentos para locação em curta temporada, destinados aos turistas:

- Internet Cafe - Nossas conhecidas lan house. Separadas em cabines, dispõe, óbvio, de internet, além de microondas e chuveiro, é uma das opções baratas de hospedagem no Japão. Tem sido uma opção de morada para trabalhadores de baixa renda, desde a crise de 2008/2009. Destinado a quem dispõe de recursos financeiros limitados para uma viagem ao Japão e/ou curte uma aventura, afinal dormir em uma poltrona é pouco confortável.
Clique neste link das >>> Internet Cafe - em japonês - que estão listadas por região/província do Japão.

- Hotel Capsula - Antigamente os hotéis capsula só aceitavam homens, hoje em dia alguns aceitam mulheres. Para quem gosta de uma experiência - já que tem sua origem no Japão - e tem espírito aventureiro, é uma boa opção, além de barata.
Homens de negócios tem utilizado desta forma de hospedagem no Japão em viagens inesperadas, visando baixo custo. Dispõe de pequena TV, ventilador. O teto é baixo, um tanto desconfortável. Recomendado pra quem precisa apenas dormir, sem direito a banho e, claro, baixo custo.
No caso do banho, no Japão existem muitas casas de banho públicas, chamadas sentō. Embora a modalidade seja antiga, alguns empresários tem investido na modernização dessas casas de banho, porém, caras. Um banho nessas casas mais simples, custa a partir de ¥200 e tem todo um ritual para entrada, como a de se lavar antes de adentrar no ofuro.
A desvantagem do hotel capsula é o ruído; a porta é apenas uma persiana, não bloqueando roncos dos quartos vizinhos ou passos.
O valor dos hotéis capsula gira em torno de ¥2000. Apenas tenha cautela, pois hoje em dia existem alguns mais confortáveis e maiores, que podem chegar a ¥5000.
Clique neste link a seguir para obter todos os >>> hotéis capsula - em japonês - por região/província.

Obs.: a maioria destes link são de sites japoneses, alguns estão em inglês. Somente os últimos links estão em português.

- Kōkyō no yado - Acomodação pública - Embora o nome pareça ser algo barato, modificou-se com o tempo. Inicialmente a idéia era assistencial, foram criadas para acomodar trabalhadores como marinheiros e construtores, que se deslocavam de seu domicílio. Geridas por instituições públicas, as acomodações podem ser tradicionais ou ocidentais. Localizadas em áreas marítimas ou bem afastadas, os preços são um pouco mais baixos que hotéis comuns.
Confira aqui, <<< clique para conhecer essas acomodações públicas no Japão.

- Ryokan -  Pousada. A mais tradicional e sofisticada forma de hospedagem japonesa, além da verdadeira experiência da cultura japonesa. Em geral, próximos a pontos turísticos e onsen, tem sido muito frequentado por quem quer viver essa experiência, mesmo por apenas um dia.
Os serviços oferecidos são dos mais diversificados como cozinha tradicional, banhos de onsen ao ar livre, aluguel de quimonos.
Você dorme sobre um futonwoshiku, estendido sobre um tatame, onde só se anda descalço. Disposto de mesa baixa, chás, chaleira térmica, roupão.
Uma hospedagem pode custar de ¥5000 a ¥20000 por pessoa/dia, dependendo da sofisticação.
Ryokan ou pousada estão listadas em sites de hotéis.

- Hostel - Albergue - originados na Alemanha, chamados de albergues da juventude, é uma opção barata. Os quartos são compartilhados, separados para homens e mulheres; alguns albergues possuem quarto para casal, um pouco mais caro. Dispõe de cozinha compartilhada, recomendado para hospedar de maneira barata, principalmente para aqueles que preferem ter apenas um lugar para tomar banho e dormir. As camas podem ser beliche ou sobre futon em tatame. O banheiro também é compartilhado.
Em Tóquio, existem alguns albergues gratuitos ou em troca da hospedagem por serviço voluntário, como exemplo, limpeza do local. Lembrando bem que o serviço deve ser voluntário, já que o visto é de turista e não podem, sob hipótese alguma, receber remuneração por trabalho realizado.
A vantagem dos hostel é a de conhecer turistas de todo o mundo.
O valor da diária gira em torno de ¥3000.
Clique nesta lista dos >>> albergues, que estão listados por região, em inglês.
Para se cadastrar no site, clique no site >>> HostelWorld.

Yadoya Guest HouseAsakusa Smile <<< clique para obter informações e entrar em contato - são albergues que acolhem hóspedes em troca de serviços voluntários.

- Couchsurfing - A modalidade foi criada para unir pessoas e lugares internacionalmente, com objetivo de trocar experiências pessoais, educacionais e culturais, fomentar a consciência coletiva e disseminar a tolerância da compreensão cultural de cada um. Hospedagem gratuita não foi o objetivo do site, no entanto, as ofertas de alojamento surgem e caso haja interesse, basta entrar em contato. É só seguir as regras do anfitrião, que pode ter algumas exigências, variando, caso a caso. A princípio, o sistema de alojamento é gratuito, mas o surfista ou convidado, pode compensar, como exemplo, fornecendo a alimentação ou mesmo um retorno de hospedagem em seu país.
É preciso cadastrar-se no site, criando um perfil.
Para se cadastrar no site, clique >>> Couchsurfing.

- Homestay - é uma forma de hospedagem a longo prazo, direcionado a estudantes em casas de família, mas muitos desses hospedeiros tem aceitado turistas em curta temporada.
O aluguel de quarto em casa de família é uma espécie de pensão. O hóspede é tratado como membro da família, portanto com algumas obrigações.
Neste link, em inglês, explicação sobre o >>> homestay.
Clicando a seguir, listagem das >>> acomodações no Japão.

Raidahausu - Originado da palavra inglesa "Rider House", utilizado pelos motoqueiros e ciclistas no verão. Uma forma de acomodação bem mais descontraída, para espíritos bem aventureiros, não exigindo reserva devido ao público, que é considerado pequeno, embora alguns façam preventivamente. Em espaço compartilhado, é preciso levar sacos de dormir. Se não tiver casa de banho por perto, muitas vezes disponibilizam chuveiro como nas praias japonesas, a partir de moedas. Toque de recolher: em torno de 20h às 21h.
Clique a seguir para saber onde existem os >>> raidahausu, por província.
Minshuku - uma espécie de pensão, parecido com ryokan, é uma forma de hospedagem em uma residência familiar tradicional, de forma privada e mais barata. Encontrada em zonas rurais ou locais montanhosos, como em Shirakawa. Caso a refeição esteja incluída no preço, ela é feita comunitariamente, em mesas baixas japonesas, de forma tradicional. Como pensão, você mesmo deve arrumar seu quarto. Minshuku também estão listadas nos sites, juntamente com hotéis e ryokan.
- Shukubo - Alojamento em templos budistas - também uma experiência diferente, uma vez que pode-se participar das orações diárias e dos rituais, obedecendo horários. O preço pode variar de ¥3000 a ¥9000 por pessoa, com refeição - vegetariana - inclusa. Os shukubo de templos budistas foram criados, inicialmente, para hospedar peregrinos, popularizados pelo Santuário Ise e Zenkoji. Hoje a prática continua, estendendo-se aos turistas.
Esta é uma lista dos >>> shukubo do Japão.
Volte à página inicial do site, se deseja opção em inglês. Se estiver interessado nesse tipo de hospedagem, clique no nome do templo e encontrará todas as informações do local, como foto, localização, telefone, necessidade de reserva.
- Hotéis - é a forma mais confortável e mais vantajosa, podendo escolher de acordo com a localização e o que oferece. Tenho feito reservas a partir do site do Booking.com e nunca tive nenhum problema.
Existem diversos tipos de hotéis, desde banheiros compartilhados que, no Brasil, chamamos de quartos. Em geral, um hotel tipo 3 estrelas oferecem frigobar, wifi gratuito, uso de computador - geralmente no andar da recepção - banheiro com ofurô e quartos com aparelho de água quente para fazer seu próprio chá ou lamen pré-prontos, secador e os acessórios simples como escova/pente, cotonete, pasta e escova de dentes, que podem também ser retirados na recepção. O roupão pode estar no próprio quarto, porém, dependendo do hotel, retira-se em um armário disponibilizado no andar. Shampoo, condicionador e sabonete ficam afixadas na parede do banheiro. Quartos para fumantes e não fumantes ficam em andares separados. Tudo isso está bem especificado nos sites de reservas de hotéis.
O pagamento é feito no ato do checkin, pelo total de diárias reservadas. Alguns hotéis fornecem cartões para pagamento em um caixa eletrônico instalado na recepção. Ao fazer o checkin, um cartão é fornecido e basta inserí-lo, bem como o valor total da hospedagem. Esses cartões servem como chave do apartamento.
O café da manhã - geralmente um pequeno almoço, com direito a arroz, missoshiru e algumas iguarias leves e, claro, suco, café, pães - pode ou não estar incluso na diária. Caso não esteja incluso não é preciso fazer reserva, basta chegar no horário e pagar na entrada. Em um hotel classe 3 estrelas, custa em torno de ¥1000. O checkin é, na maioria, à tarde, após as 13h, que pode variar até as 15h e o checkout no período da manhã, geralmente até as 10h.
Não fotografei nenhum interior dos hotéis em que fiquei, mas são como mostram no site e, confesso, já me surpreendi, por serem melhores.
Nessa forma de hospedagem, incluo também os Resort Hotel, localizados em pontos aprazíveis, como montanhas, anexos aos onsen - águas termais - ou fazendo parte de complexos, envolvendo diversão como estações de esqui, parques temáticos ou de entretenimentos diversos, em um verdadeiro sentimento de férias.
Business Hotel são hotéis para executivos, somente um pouco menores e mais baratos. Esse tipo de hotel costuma ficar próximo das estações de trem e listados com os demais.
- Aluguel de apartamento para curta temporada - Existem casas ou apartamentos para curta temporada oferecidos aos turistas no Japão, a maioria desses imóveis estão listados no TripAdvisor <<< clique para conhecer, reservar ou cadastrar-se, e também um pouco no >>> Booking. Esses sites, em português, mostram como eles são, em diversas idiomas, bem como avaliações e comentários dos usuários.
Uma forma de hospedagem com privacidade, porém, sem a mordomia de uma camareira. Lembrando também que, mesmo temporariamente, é considerado um morador local e deve obedecer às regras do local com relação ao lixo, como acondicioná-los em sacos próprios, separados e levá-los em locais de coleta.
Como dica, o ideal é que o apartamento ou casa fique próximo a alguma estação de trem.

Se gostou da postagem, compartilhe, por favor. Agradeço muito!
Se quiser saber novidades sobre o Japão, curta a >>> fanpage.
Para assistir alguns eventos jaoneses, inscreva-se no Canal >>> YouTube.

Continue lendo → http://vidasemvoltas.blogspot.com

Lenda urbana do Japão: garrafas pet com água repelem gatos

Se você pensa que só o Brasil usa as garrafas pet através de alguma lenda, está enganado.
Isso acontece em vários países de primeiro mundo, inclusive no Japão.

Este assunto é mais uma das postagens que estava em rascunho por alguns anos, desde que passei por estas casas e descobri pra que serviam essas garrafas.
O tempo passou, o assunto acabou esquecido, até que postei sobre esses baldes de água dispostos em alguns bairros de algumas cidades, muito visto em Arashiyama, em Kyoto, inclusive nos jardins do Heian Jinja.
Esses baldes com água, escritos 消火用, ou Shōka-yō, balde para combate a incêndios, são utilizados para auxiliar em princípios ou focos iniciais de incêndios, para que não se propaguem.
A colocação dos baldes depende de cada associação de bairro, não sendo, portanto, obrigatória, e visto em pouquíssimas cidades.
Na minha opinião - esclarecendo bem que é apenas uma opinião, não consultei ninguém do Corpo de Bombeiros - servem para atender aos nossos instintos iniciais quando vemos algum princípio de incêndio. Acho que uma das preocupações iniciais é realmente ter à mão um balde de água. Embora haja resistência por muitas associações de bairros, acho até válida, caso se inicie um pequeno foco, cuja propagação pode causar grandes danos.

Como a Ale, amiga da fanpage questionou sobre umas garrafas pet que existem em jardins de algumas casas no Japão, resolvi publicar este post.
A princípio, essas garrafas até parecem ter ligação com fogo, já que o Japão é um país bastante propício a incêndios, pelas construções/alicerces em madeira, casas muito próximas uma das outras e, no inverno, pelo uso dos aquecedores, entre outros motivos. A TV japonesa sempre faz alerta de prevenção a incêndios em seus programas inclusive para que se evitem o uso de aquecedores próximos aos objetos, principalmente tecidos.
Caso esteja dormindo, a pessoa pode, inconscientemente jogar cobertores ou os futons sobre esses aquecedores e causar incêndio.

Antes de entrar no assunto, quero ressaltar que as garrafas pet utilizadas em jardins são diferentes do sistema de irrigação em que as garrafas são colocadas viradas para baixo, ou mesmo para cima com um barbante, junto a algum vaso ou diretamente a uma planta, pois trata-se de um sistema de irrigação, muito usado por quem viaja e fica alguns dias fora do domicílio, sem que tenha alguém para regar.
As garrafas a que me refiro ficam enfileiradas como na imagem inicial.
Neste caso, as garrafas estão de boca para baixo, usadas para irrigação.
Também não é o caso da foto abaixo, da postagem anterior sobre espantalhos <<< clique se não leu, em que as garrafas vazias - em meio às  latas - muitas vezes cortadas ao meio são colocadas para fazer barulho e brilhar, com a finalidade de espantar pássaros.
Se no Brasil existe a lenda de que garrafa pet com água, sobre o medidor de energia elétrica, ajuda a diminuir a conta, aqui a história é outra.
Não sei exatamente onde surgiu a lenda, apenas sei que não foi no Japão, mas veio parar aqui.
É uma velha história que surgiu há 20 anos, através de jardineiros que davam a orientação de deixar uma garrafa ou jarra com meio litro de água para evitar que os cães defecassem em gramados. Os defensores da idéia basearam-se no fato de que o brilho da água representa perigo para o cão e que eles fugiriam ao virem seus reflexos na água.
Como muitos experimentaram e afirmaram que a coisa funcionou, a história se espalhou.

Depois disso, surgiu uma outra versão de que as garrafas pet cheias de água funcionariam para espantar gatos que fizessem estragos em jardins espalhando-se pelos EUA, Canadá, Austrália, Nova Zelândia, Reino Unido, vindo parar aqui no Japão.
Como não existem cães sem dono nas ruas do Japão - eles são todos registrados, seja 1 ou 10 -  mas com muitos gatos nas ruas, a idéia foi a de repelí-los, baseados nos fatos de que eles se assustariam com seus próprios reflexos e também do sol e, principalmente, por não gostar de água. Contesto a última hipótese, já que essas garrafas são tampadas.
E assim, muitas donos de casas por aqui que adotaram a idéia, se utilizam dessas garrafas até hoje.


Se deu certo para os donos das casas não descobri, o fato é que estão ali intactos, há alguns anos.

Assista a esse vídeo em que um programa de TV desfaz esse mito, mostrando que garrafas pet não espantam gatos:

bust this myth por garak4500

Após a publicação na fanpage, a amiga Leila, que mora no Brasil, disse usar as garrafas pet como estratégia para afastar os gatos. Ressaltando que algumas vezes não funcionam, as garrafas devem estar dispostas juntas umas nas outras, ou seja, sem vãos e, preferentemente, de 2 litros, cheias de água para que fiquem pesadas. Pesadas, os gatos não conseguirão derrubá-las e, por serem lisas, nem poderão agarrar-se a elas. A água dentro da garrafa transforma-se em uma espécie de lente e eles se refletem em tamanhos grandes, assustando-os. Em resumo, a maneira correta seria fazer uma cerca de garrafas pet, de forma que eles não possam derrubar. No entanto, tenho visto garrafas enfileiradas, muitas, com espaços entre elas, desviando-se do sentido de cerca, conforme algumas imagens acima.


Veja mais novidades sobre o Japão, curtindo a >>> fanpage.
Veja alguns eventos, inscrevendo-se no Canal >>> YouTube.

Continue lendo → http://vidasemvoltas.blogspot.com

Cozinha Super Bom – cardápio de janeiro de 2015


Continue lendo → http://blog.suri-emu.co.jp