Página 3

Cajon del Maipo

Onde fica

Situado a sudeste de Santiago, a aproximadamente 100 km de distância do centro, Cajon del Maipo é uma região próxima as cordilheiras com diversas opções de lazer. Perto das belezas naturais existe uma pequena comuna chamada San José del Maipo que fica no caminho para as principais atrações. Não há muitas opções do que fazer na cidade além de restaurantes e feira de artesanato (aberta aos finais de semana e feriados), mas aproveite para comprar coisas para comer e beber caso tenha esquecido de levar.
É importante sair cedo de Santiago para que se aproveite o máximo a luz do dia, dado que boa parte das estradas não são iluminadas e as principais atrações são paisagens.

Mapa obtido em: www.cajondelmaipo.com

Mapa obtido em: www.cajondelmaipo.com

Atrações e como chegar

Ainda não tive a oportunidade de conhecer todas as atrações da região, então vou contar um pouco mais para vocês somente daquelas que eu pude ir. Atualizarei o post sempre que conhecer mais coisas do lugar!

Cascada de las Animas

É um parque com muitas atividades programadas: rafting, caminhada, cavalgada, tirolesa. Fica em San Alfonso (veja no mapa acima a localização).

Para ir de onibus, é preciso tomar a linha 4 do metro com destino a Puente Alto, descer na estação las Mercedes. O ponto de ônibus fica na Av. Concha y Toro e você deve pegar o onibus N72 que passa a cada meia hora. Preste bastante atenção: os ônibus que chegam até a Cascada de Las Animas tem escrito “San Alfonso” ou “San Gabriel”. Pergunte ao motorista se ele passa pela Cascada de las Animas e peça para ele avisar quando for o ponto mais próximo. Para ir de carro basta colocar o endereço no GPS/celular: Camino al Volcán N°31087, Casilla 57.

Fiz a tirolesa e a caminhada, e recomendo os dois! A caminhada dura aproximadamente 2 horas e conta a história do local além de ter um ótimo visual (não vou dar tantos detalhes para não perder a graça!). A tirolesa apesar de não ser muito extensa tem uma vista incrível, passando sobre um rio. Fiz quando o Sol já estava caindo e foi bem legal mesmo!

Seguem algumas fotos do local:

Entrada da reserva

Entrada da reserva

Chalés onde é possível se hospedar (lembra a casa dos smurfs, não?)

Chalés onde é possível se hospedar (lembra a casa dos smurfs, não?)

Nada mal essa vista!

Nada mal essa vista!

Não deixe de visitar o site do local antes de ir: www.cascadadelasanimas.cl

Baños Colina

Para quem quer relaxar e ter uma experiência diferente, que tal uma terma em meio a cordilheira?
Se for alugar um carro para o passeio, pegue um jeep, uma caminhonete 4×4 ou algo desse estilo, já que boa parte da estrada é de terra e podem haver poças grandes devido ao gelo derretido (por isso também se recomenda fazer a viagem entre os meses de outubro a março) . O risco de ficar atolado em meio ao nada definitivamente não vale a economia de um carro mais barato. Você chegará lá seguindo pelo Camino al Volcán. O caminho em si é um atração a parte, e as termas são na verdade a recompensa e o momento de descansar para a volta. A entrada nas termas custa 8.000 pesos e aqui as águas estão longe de ser cristalinas, com bastante barro (que inclusive muita gente passa na cara). O mais legal foi o contraste da temperatura da água (que dependendo do local chega a ser insuportavelmente quente) e a paisagem montanhosa com neve por todo lado. O pior foi a falta de estrutura do local que não oferece muito além de um chuveiro bem ruim. Aconselho que levem um roupão para quando sair das piscinas, toalha (pois quando fomos não havia disponível para todos) e protetor solar (não há sombra).

No caminho, parada para comer uma empanada que está atrás de um campo de futebol na beira da estrada e enquanto a comida não estava pronta, valeu a pena esse visual.

No caminho, parada para comer uma empanada que está atrás de um campo de futebol na beira da estrada e enquanto a comida não estava pronta, valeu a pena esse visual.

Os carros pareciam até miniatura nessa paisagem...

Os carros pareciam até miniatura nessa paisagem…

Uma simpática cachoeira que encontramos pelo caminho

Uma simpática cachoeira que encontramos pelo caminho

Neve e montanhas por todo lado

Neve e montanhas por todo lado

Enfim as termas!

Enfim as termas!

Outros dois lugares que parecem incríveis e ainda não visitei são: Embalse el Yeso e Monumento el Morado, então fica a dica para que pesquisem a respeito.
Já foi lá? Contribua contando sua experiência!

Você pode encontrar mais informações sobre toda a região no site: www.cajondelmaipo.com


Continue lendo → http://chile.intercambio.com.vc

Roteiro de 5 dias: Foz do Iguaçu, Puerto Iguazú e Ciudad Del Este

O próximo destino já tem data marcada e um planejamento de dois meses. Irei à Foz do Iguaçu, Paraná. Tenho uma carinho especial pelo Sul, principalmente pelo meu pai ser paranaense e ter família por lá. Como todas as minhas idas ao Paraná, essa também será de carro e saindo de São Paulo terei 14hs de viagem pela frente.

Muitos podem dizer que sou maluca de ir de carro, que é muito cansativo e longe, mas as passagens aéreas para Foz não estão compensando nem um teco.

A escolha foi feita pela cidade fazer fronteira com dois países, possibilitando comprinhas, sem contar com uma das paisagens mais belas do mundo: As Cataratas do Iguaçu. Sempre dizem que devemos visitá-la pelo menos uma vez na vida, não é? Então a minha vez chegou.

Parte das informações que coletei para criar o meu roteiro foi baseada na opinião das pessoas para encaixar cada programa no seu melhor dia, mas ainda estou aguardando a previsão do tempo para ter certeza de tudo. Portanto, ele basicamente ficará assim:

1º DIA – DOMINGO
Na madrugada de Sábado para Domingo, partiremos de São Paulo as 4hs da manhã, com o objetivo de chegar por volta das 20hs. Contando com as paradas para lanche e almoço. Nesse dia darei entrada no hotel e descansarei para o dia seguinte.

(Prometo que vou guardar todos os tickets de pedágio para detalhar para vocês, pois senti falta dessa informação).

2º DIA – SEGUNDA
Durante minha busca por hotel, constatei que a maioria possui estacionamento pequeno e limitado. Essa é uma grande preocupação, pois são 1.000km de distância da minha querida casinha e é preciso cuidar do que temos, né? Outra preocupação é pela cidade ser divisa com o Paraguai e em alguns lugares tem alto índice de roubos de carro, pela facilidade de passagem. Por esses motivos, optei pelo segundo dia deixar o carro no hotel e fazer os passeios de ônibus. Dessa forma os gastos também serão controlados. Este dia será das Carataras Brasileiras (R$ 30,00), Parque das Aves (R$ 20,00), Templo Budista e o jantar será na Argentina.

3º DIA – TERÇA
Parte do segundo dia também será de ônibus, rumo ao Paraguai. Não acho uma boa ir de carro para aqueles lados, ouvi dizer por ai que o trânsito é um caos e você corre um risco a mais. Mas quem prefere, existem estacionamentos seguros lá, como no Shopping Del Leste ou mesmo no nosso lado brasileiro da ponte. Aí o trajeto de travesia deve ser concluído a pé. Optei pelo ônibus para não ter preocupação e economizar. Não gastarei R$ 40,00 com vans, acho muito e besteira ficar dependente de terceiros.

Para o final do dia e a noite, pretendo sair por Foz mesmo: Oficina do Sorvete e jantar no Capitão Bar.

4º DIA – QUARTA

Por questão de conforto, irei às Cataratas Argentinas de carro (também pretendo dar detalhes desse percurso, pois não tenho detalhes). O passeio leva o dia todo e os ônibus param de circular um certo horário. Também não quero ficar refém caso queira esticar por Puerto Iguazú. O valor do estacionamento do parque é de 50 pesos, cerca de R$ 25,00 e o ingresso de 115 pesos (R$ 40,00). Provavelmente, o jantar será feito por lá mesmo, sem deixar de lado um sorvetinho no Freddo.

5º DIA – QUINTA
Meu último dia ficou com a manhã reservada para a Usina de Itaipú (R$ 26,00 passeio panorâmico) e o restante livre para as vontades mundanas, quem sabe por lá não descubro outro passeio legal, sem ser turístico.


6º DIA – SEXTA

Café da manhã e check-out, provavelmente a saída será as 9hs da manhã.

Viajo no fim do mês, volto aqui com o real roteiro que foi seguido e com novidades. Desejo que esteja um clima ótimo para que tudo possa ser 100% aproveitado.

Uma dica: Os ingressos das Cataratas do lado brasileiro e Itaipú, podem ser comprados online, o que pode poupar tempo ao invés de ficar em filas.

Ingressos Online Cataratas do Iguaçú
Ingressos Usina de Itaipú



Continue lendo → http://https://santiaguiando.wordpress.com/2014/09/16/roteiro-de-5-dias-foz-do-iguacu-puerto-iguazu-e-ciudad-del-este/

Gramado, Rio Grande do Sul – 8 Dias: Segunda Parte

5º Dia – Tour Uva e Vinho:

Neste dia visitamos as cidades de Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Carlos Barbosa e Garibaldi. Começamos por Bento Gonçalves, onde é possível fazer o passeio de Maria Fumaça, que é muito bacana pela atmosfera, degustação de vinhos e músicas tradicionais. Infelizmente o trem não passa por paisagens bonitas, o passeio é imperdível.

Estação de Trêm Bento Gonçalves
O trajeto é feito pelas três cidades, uma ao lado da outra. Dentro do trem acontece um teatrinho e muita música até parar em cada estação.  Desce quem quer, mas cada parada você se serve de vinho, espumante, queijo e mais música!

Na sequência, visitamos a Vinícola Aurora, que também não tem nada de mais (ainda prefiro minha visita a Concha y Toro, veja aqui), vale a pena pela lojinha, os preços são legais. Em Carlos Barbosa, visitamos a Tramontina, lá pode-se encontrar toda a linha de produtos com preço abaixo do mercado, é compra direito da fábrica. Se você precisa comprar esses itens e vai viajar para lá, vale a pena. Na frente da Tramontina, tem a Fettina de Formagio, com diversos tipos de queijos, sucos e gelérias. Vale a pena a variedade de queijos que tem lá, os preços são acessíveis e possuí degustação.

Vinícola Aurora Fettina Fromagio Passeio Maria Fumaça Passeio Maria Fumaça

6º Dia – Raízes Coloniais:

O tour Raízes coloniais é o momento história da viagem. Enfrentamos o frio até o interior da cidade de Gramado (ou Canela, não sei exatamente a localização, mas parece ser a zona rural da cidade) para conhecer imigrantes italianos. A primeira parada foi a Casa Centenária: Reza a lenda que quem abraça uma árvore de carvalho, tem sorte para toda a vida. Eu me garanti…

Casa da Família Foss Casa Centenária Casa Centenária Carvalho da sorte - Casa centenária Família Foss cantando um parabéns gaúcho para os aniversiantes do mês

A segunda parada foi o Moinho Colonial, Fábrica de Erva-Mate, Museu Fioreze e Família Foss, que recebe os visitantes com muita música, pães quentinhos, geléias artesanais e bastante pinhão. Sabemos que eles recebem para isso, mas nada deixa transparecer que é algo montado. Na Fábrica de Erva-Mate tem degustação de chimarrão e lojinha. Se você pensa em fazer esse tour, vá bem agasalhado, pois a área é muito fria!

Não sei informar como chegar até esses lugares por conta própria, ficam afastados da cidade e não vi placa pela estrada.

7º Dia – Nova Petrópolis

O passeio para Nova Petrópolis é rápido, não tem nada de mais, leva meio dia, mas é gostoso. Visitamos o parque Aldeia do Imigrante, que é pequeno, mas rico em história para conhecer. O parque é cheio de verde e bem tranquilo. Tem algumas lojinhas na saída e é possível comprar boina e cachecol por um preço bom. Jaquetas e casacos não valia nada a pena, muito caro.

Depois, andamos um pouco pelo centrinho , onde havia comemorações típicas alemãs e comidinhas, enquanto outros se divertiam no Labirinto Verde.

Nova Petrópolis Parque - Nova Petrópolis Nova Petrópolis Parque - Nova Petrópolis Nova Petrópolis
Nesse dia, o almoço foi no Hotel Serrano, onde no post anterior, disse que a última refeição foi a melhor. A tarde foi livre, aproveitamos um pouco mais Gramado e descansamos para no dia seguinte voltar a Porto Alegre e tomar o nosso vôo rumo à São Paulo.

Leia também: Gramado, Rio Grande do Sul – 8 Dias: Primeira Parte



Continue lendo → http://https://santiaguiando.wordpress.com/2014/08/05/gramado-rio-grande-do-sul-8-dias-segunda-parte/

Gramado, Rio Grande do Sul – 8 Dias: Primeira Parte

Essa semana faz dois anos que passei 8 dias no Rio Grande do Sul (sei que estou atrasada, mas acredito que seja válido para possíveis comparações). Viajei com a minha família em um modo não muito convencional para mim, fizemos um pacote pela CVC, o que particularmente não me agrada, pois ficamos limitados aos horários e programações da companhia. Se tem uma coisa que eu gosto na vida, é de viajar e me empolgar fazendo meus roteiros. Dessa vez não foi possível pela comodidade que minha família buscava.

Abaixo segue basicamente o roteiro da companhia e minhas impressões. Esses post será dividido em duas partes: os quatro primeiros dias e depois os quatro últimos.

Se você vai por conta própria, pode montar o seu próprio roteiro baseado nos passeios que as companhias turísticas fazem ou se você comprou um desses pacotes, as informações também são válidas.

1º Dia:
Na manhã do primeiro dia embarquei em Congonhas com destino Aeroporto Salgado Filho. Na chegada a Porto Alegre ocorreu um impecílio com a minha mala, que teve todo o seu bolso da frente rasgado. Não sei se foi proposital ou se enroscou em algum lugar. Felizmente não perdi nenhum pertence, apenas a mala que já era velhinha. Deixei para lá e seguimos para o saguão de desembarque, uma equipe da CVC nos esperava no saguão com outros passageiros que seguiriam viagem conosco.

O trajeto levou cerca de 2hs de viagem até Gramado. A estrada é tranquila, o motorista prudente (quem me conhece, sabe que tenho um medinho de andar de “busão” turístico) e o ônibus era novinho (pelo o que nos contaram, era a sua primeira viagem).
Portal de Gramado - RSAtravessamos o portal da cidade e demos início ao desembarque por ordem de hotéis.

Me hospedei no Hotel Laghetto Siena, bem confortável, próximo ao centro de Gramado (uma caminhada, não tão próximo assim, mas nada que seja absurdo, da pra encarar, somente a noite tenha cautela, pois é um pouco deserto).

O jantar desse dia estava incluso no pacote e seria no Hotel Serrano Resort & Convenções, onde fomos com bastante expectativa, mas infelizmente não foi bom. Havia pouca variedade e a comida parecia velha, nada saboroso. Outras refeições como jantar ou almoço foram feitas nesse mesmo hotel, mas nem irie citá-las. Apenas no último dia em que comemos por lá e que estava melhor, talvez porque fosse dia de convenção.

2º Dia:
O café da manhã do hotel era excelente, com muita variedade de pães e bolos frescos, iogurtes, sucos, frios e outros. O único impecílio eram as minhas noites de sono, pois a janela do meu quarto era de frente para a avenida, que é bastante movimentada, então o barulho incomodava muito.

O ônibus para os passeios nos buscava cedo, era bem complicado largar a preguiça e o frio para encarar o dia. Isso pode irritar algumas pessoas. Aliás, o ilustríssimo guia que nos acompanhava, adorava cantar.

Parque do Caracol (Canela)
O Parque é simplesmente maravilhoso! É bem familiar e agrada a todos os gostos. Você fica literalmente em contato com a natureza, qualquer idade pode fazer as trilhas que desembocam para nascente, passar bem pertinho das cachoeiras que se formam e para os mais preparados fisicamente, podem descer as dezenas de degraus da escadaria da cachoeira principal. Hoje, se eu fosse voltar lá, com certeza desceria! Na época, por conta da companhia turística, essa descida não foi possível pelo tempo que se leva (se descesse, não conheceria o restante do parque) e além do mais, eles colocam medo nas pessoas, dizem que podem passar mal e que o ônibus partirá sem elas. Por esse motivo, aconteceu um climão entre alguns passageiros e o guia. Essas pessoas desceram a escadaria e voltaram um pouco atrasadas, todos já estavam no ônibus preparados para o próximo passeio, enfim… Foi um climão, mas eu queria mesmo é estar junto com eles e ter decido.

Infelizmente o ponto negativo foi o tempo, que deveria ser maior, podendo abranger todas as atrações do parte.

487719_466430756702605_1632081156_n

Castelinho Caracol (Canela)
Lá tem um museu bem bestinha, não achei válido pagar, comprei um apfelstrudel, que acompanha creme de leite e comemos em cima de um toco de árvore, um delicioso momento sob o sol da manhã. O lugar é lindo, vale a visita.

481923_466431633369184_681942092_n

Minimundo
Eu me apaixonei pelo Minimundo, foi um dos melhores passeios da viagem. É literalmente um minimundo de Lego, miniaturas e réplicas. Vale para todas as idades, tem até um Mini aeroporto (risos).

376805_466433413369006_1799341301_n

Endereço: Rua Horácio Cardoso, 291 – Gramado/RS.
Horário: 9h15min às 17hs.
Entrada: R$ 20,00

Lago Negro
O Lago Negro fica bem próximo do Minimundo, é gostoso para perder um tempo em um final de tarde ou pela manhã. A entrada é gratuita e por lá tem feirinha de tudo o que você pode imaginar. Vale passar para conhecer caso esteja na região. O bairro é bem bonito, com casas de inverno sofisticadas e roseiras

3º Dia:
O terceiro dia não teve nada de especial, mais ficamos esperando do que passeando. O ônibus nos levou logo cedo a Fragran Perfumes para conhecer um pouco mais sobre a criação de essências. Lá tinha uma vitrine de diversos perfumes conhecidos de todo o mundo e uma loja própria. Os preços eram muito bons, acredito que se você vai até o Museu de Cera, Mundo a vapor ou Harley Motoshow, vale a pena dar uma passadinha para conhecer, mas nada que esteja perdendo algo.

Seguindo a sequência que citei acima, fomos ao Museu de Cera Dreamland e Harley Motoshow. Ambos não tive vontade de visitar, não me interessaram e eram pagos, também não dava para pagar tudo que aparecia pela frente, então esperamos as pessoas que foram e apenas visitamos o Mundo a Vapor, que também é um passeio para todas as idades e bastante educativo.

Endereço: Rodovia Canela – Gramado
Entrada: R$ 19,00 (estudantes pagam meia entrada)

Neste dia, se não me engano, a noite e o fim da tarde foram livres, aproveitamos para conhecer o centro, comprar alguns casacos e uma nova mala. Na época, várias lojas estavam em promoção e consegui comprar uma mala P de ótima qualidade por uma pechincha.
Já os casacos, comprei em uma dessas galerias/shoppings que ficam na região, infelizmente como me atrasei no post, não tenho os dados corretos, mas vale a pena canelar e conhecer toda a região. A dica é que eles vem de São Paulo, coloco uma fé que seja do Brás. Também achei os preços bons, tem casacos maravilhosos. Eu comprei dois pouco mais de R$ 300,00 e até hoje estão novinhos.

Tinha interesse em comprar jaquetas, mas para isso não achei os preços nada convidativos. Encontrei algumas botas por preços comuns, mas nada que me fizesse cair de amor e comprá-las (com excessão do Outlet da Dakota que virá na sequência).

A noite fomos à uma sequência de fondues no Chateau de La Fondue, eles possuem serviço de transfer sem custo adicional, do hotel até o restaurante e vice versa. Fomos muito bem atendidos, o lugar tem clima romântico, bem localizado e agradável.

4º Dia:
Tour de “compras”, conhecer fábrica de chocolate Prawer e Chocolates Caracol. Ambas são bem temáticas e tem ótimos chocolates. Da pra curtir e voltar várias vezes sem pressa. O preço é acessível, nada de escandaloso. Já o tour de compras são poucas coisas que compensam e os guias ganham comissão em todos os lugares. Sempre no caixa te perguntam qual o nome do guia, chega a ser chato. Além da pagarmos uma viagem cara, ganham em cima de nossas costas com uma bala que for. O que eu indico é deixar para conhecer o Outlet da Dakota, lá comprei duas botas lindas, cada uma custando R$ 100,00. A loja é grande, da pra explorar tudo o que tem de bom lá.

Geralmente esse tour de compras é meio furado, te levam em lojas de gosto duvidoso e caras (para claro, como sempre, ganhar a comissão). Por isso acho importante andar bastante, olhar as vitrines do centro e se você for a algum desses passeios “turísticos”, fique atento!



Continue lendo → http://https://santiaguiando.wordpress.com/2014/07/29/gramado-rio-grande-do-sul-8-dias-primeira-parte/

Vistos no Chile

Informações gerais

O órgão responsável pela imigração no Chile ê o Departamento de Extranjería y Imigración. Vamos resumir as principais informações para brasileiros aqui no post mas lembre-se que as informações oficiais e mais atualizadas estão disponíveis no site www.extranjeria.gob.cl. Esse foi o site utilizado como fonte para esse texto.

Turismo

Assim como acontece com outros países da América do Sul, brasileiros que pretendem passar até 90 dias a turismo no país não necessitam de visto nem de passaporte, apenas RG. Assim que se apresentar na imigração do aeroporto, bastará dizer que veio a turismo e, caso solicitem, informar quanto tempo ficará e onde se hospedará (não é obrigatório mas recomendo que leve um comprovante da reserva do hotel/hostel/e-mail de alguém confirmando que te receberá e reserva da passagem aérea). Feito isso o oficial entregará um documento indicando sua data de entrada. Esse papel deverá ser guardado durante a viagem e entregue no retorno ao Brasil. Simples assim! Também não se preocupe com o idioma pois os oficiais já estão acostumado com os milhares de brasileiros que passam por ali todos os meses e tem ótima compreensão do portuñol!

Residência temporária

Existem 3 tipos mais comuns:

Visto sujeito a contrato

É o visto dado a pessoa que vem para o Chile já contratada por uma empresa e permite que essa pessoa trabalhe de forma exclusiva para essa organização. Com esse contrato, caso a pessoa se demita ou a empresa dispense o trabalhador, o visto termina imediatamente, sendo necessário dar entrada em outro visto ou sair do país. Tem duração de até dois anos e depois disso o trabalhador tem o direito de pedir a residencia permanente (uma vez que se obtém a residencia permanente o trabalhador não necessita abandonar o país caso se cancele o vínculo de trabalho da).

Visto temporário

Permite morar e realizar qualquer atividade legal no país. Tem duração de até um ano, prorrogável por mais um. Caso pretenda ficar mais tempo a pessoa pode solicitar a Permanência Definitiva já depois do primeiro ano.

Visto de estudante

Permite estudar em estabelecimentos de ensino reconhecidos pelo governo chileno. Dura até 1 ano (ou até a duração da bolsa para quem vem por uma) e é prorrogável até o final dos estudos. Também permite que a pessoa aplique para uma Permanencia definitiva depois de terminar os estudos.

Permanência Definitiva

Com a Permanência Definitiva a pessoa não necessita mais renovar seu visto no país e pode realizar qualquer atividade legal.
Repare que cada tipo de visto que vimos acima exige um prazo diferente para aplicar para a Permanência Definitiva. Essa deve ser solicitada dentro dos 90 dias antes do vencimento do visto de residencia temporária.
Importante lembrar também que caso a pessoa que tem Permanência Definitiva fique por mais de um ano fora do país ininterruptamente, perderá esse visto. Para que isso não ocorra, é necessário pedir (dentro de 60 dias antes de alcançar esse prazo) uma prorrogação de um ano na vigência de sua Permanência Definitiva (esse processo pode ser feito no máximo 4 vezes sucessivas).

Resumo

Você, brasileiro, é muito bem-vindo ao Chile! Existem diversos acordos que facilitam a nossa entrada no país, seja para negócios, turismo, estudos ou vir para ficar. Os processos em geral são bastante claros. Consulte o site oficial, leve todos os documentos solicitados e se livre da burocracia o quanto antes para aproveitar o país sem dor de cabeça!


Continue lendo → http://chile.intercambio.com.vc