Página 4

Maldita Milonga celebra 7 anos cheia de boas notícias

MALDITA MILONGA LOGO

Quem lê o blog – ou já veio aqui em casa – sabe!

Sou fã da MALDITA MILONGA, organizada pela orquestra típica EL AFRONTE e por Laura Heredia  em San Telmo.

Rola todas as quartas-feiras, com aula de tango, música ao vivo e apresentação de bailarinos.

O lugar – o Buenos Ayres Club – é um amplo salão no primeiro piso de um sobrado do bairro. A ambientação – paredes pintadas de vermelho e preto e iluminação tênue – dá um touch interessante. O piso já mostra a passagem do tempo, mas é super apto para baile.

O público é composto por gente jovem, de roupa informal, o que deixa o ambiente bem descontraído.  Buena Onda, como se diz aqui. O nível de baile é bom, mas principiantes são bienvenidos! E, ao contrário das milongas bem tradicionais, há menos “cabeceo”. Muita gente vem “sacar” para dançar na palavra…

Mas o melhor de tudo é a Orquestra. Dançar com música ao vivo é um luxo! A Orquestra EL AFRONTE, (que toca todos os domingos em frente à igreja de San Telmo) divide o repertório em temas clássicos e próprios – e tem uma marcação meio violenta para violinos e bandoneons. Toda uma experiência na hora de dançar.

 

MALDITA MILONGA2

Adoro esse clima escurinho

 

Agora em julho eles comemoram sete anos de existência! E para celebrar este aniversário, várias novidades.

1. CONVIDADOS: Toda a semana um DJ e bailarinos convidados. Semana que vem , dia 9 de julho, a Maldita festeja a festa pátria com DJ LOCA! e os bailarinos Juan Pablo Ramirez e Daniel Alejandro Arroyo Miranda

2.DOMINGO: Agora tem Maldita também no domingo, além da quarta-feira. Mais Bendita Milonga na segunda. Ou seja, três dias sem desculpas para milonguear.

3.ENTRADAS GRÁTIS: Toda a semana vamos ter SORTEIO DE ENTRADAS aqui no blog. Para participar, tem que dar um like no Facebook de AQUI ME QUEDO

4. AULAS: Outra novidade boa é que desde o mês passado ajudo como professora assistente nas aulas de Laura Heredia e Sergio Serjei, junto com a Sara. Ou seja, que quiser pode aparecer e dar os primeiros passinhos comigo!! As aulas são para principiantes (para quem não sabe nada mesmo!) e também intermediários. Começam às 21h.

 

SERVIÇO:

Maldita Milonga – Quartas e Domingos, a partir das 21h

Bendita Milonga – Segunda-feira

Endereço: Peru, 571 (não tem placa na porta, mas é só subir as escadas)

Preço: 50 pesos (aula, show da orquestra e milonga)

O post Maldita Milonga celebra 7 anos cheia de boas notícias apareceu primeiro em Buenos Aires: Aquí me quedo.


Continue lendo → http://aquimequedo.com.br

Rock e tango se encontram neste road movie de La Vidu

La-Vidu-documentario.jpj

46 horas de viagem!

Programaço para quem tá afim de fazer uma coisa diferente: escutar tango, ver um filme e, de quebra, conhecer um espaço bem alternativo de Buenos Aires.

Então anota na agenda: dia 10 de julho, estréia do documentário REMANDOLA EN EL TREN + show da Orquesta típica La Vidú no TEATRO ORLANDO GOÑI (Cochabamba 2536).  

O apoio é da revista TINTA ROJA.

A história é simples. Conta a viagem dos 15 músicos que participam da Orquestra La Vidu, numa viagem de 46 horas de ida e volta Buenos Aires-Córdoba.

A direção é da jornalista apaixonada por tango, Juliette Igier.

Con ellos rumbeamos campo afuera, atravesando paisajes de lluvias y de rieles. Miramos desde las ventanillas campos y suburbios de la  Argentina de hoy. Las horas pasan, el tango y el rock argentino invaden los vagones. Se encuentran y se cruzan en este viaje donde la música es el único motivo. Con La Vidú canta todo el tren. Ellos acompañan el frenético balanceo sobre las destruidas vías y el viaje interminable se vuelve un elogio de la lentitud, pretexto de encuentros, entre los pasajeros y la música, los paisajes y las melodías. El mismo tren marca el compás de cada tema y silba su propia canción.  

O TEATRO ORLANDO GOÑI é um espaço é capitaneado pelos integrantes de duas das minhas orquestras favoritas da chamada nova geração: a Ciudad Baigón e a Astillero. É um lugar bem alternativo, de vanguarda, com shows de quartas a sábados e que leva o nome do mítico pianista da orquestra de Aníbal Troilo.

O lugar é super astral, com piano acústico, um palco bem grande, mesas e um bar para quem quer chegar mais cedo e bater papo numa luz tênue. Destaque para os “Miercoles Calavera”, quando nomes de maior trajetória dividem o palco com músicos que recém começam.No lugar funciona também a Escola de Tango Orlando Goñi, coordenada pelo líder do Astillero, Julián peralta, figura fundamental para a renovação do tango em Buenos Aires.

✦ 20:30 hs. Abrem as portas

✦ 21:00 hs. Filme (pontual)

✦ 22:30 hs. Orquesta Típica La Vidú ao vivo

✦ Entrada: $30

O post Rock e tango se encontram neste road movie de La Vidu apareceu primeiro em Buenos Aires: Aquí me quedo.


Continue lendo → http://aquimequedo.com.br

O samba do mundo: como os torcedores comemoram em outros países

As partidas são no Brasil, mas as celebrações são ao redor do mundo!

A Visa convidou 32 cineastas para retratar como as pessoas comemoram em diferentes países e, com isso, fez uma releitura do samba mundo afora.

Os vídeos estão muito lindos.

Selecionei quatro, mas se vocês entrarem em YOU TUBE tem muito mais.

 Samba Brasil

Samba Colômbia

Samba Costa Rica

Samba Argentina

O post O samba do mundo: como os torcedores comemoram em outros países apareceu primeiro em Buenos Aires: Aquí me quedo.


Continue lendo → http://aquimequedo.com.br

Google Institute mapeia ‘street art’ em Buenos Aires

Street_art1

Foto: Buenos Aires Street Art

 

Essa ferramenta desenvolvida pelo GOOGLE CULTURAL INSTITUTE, em conjunto com 30 parceiros globais, é um es-pe-tá-cu-lo para quem gosta de street art.

Eles estão documentando a arte de rua em diversas partes do mundo e colocando numa livraria digital.

O projeto foi lançado este mês, simultaneamente, em Paris e Buenos Aires. 

Entre os parceiros locais estão GRAFFITIMUNDOBUENOS AIRES STREET ART, que subiram cerca de 300 imagens de alta resolução do que tem de melhor na cidade.

Vocês podem espiar AQUI. 

street_art0

O maior mural de Buenos Aires, feito por Martin Ron, em Villa Urquiza

street-art.jpg

Um dos meus preferidos

Dá para encontrar os grafitis por bairro e pelo nome do artista. Alguns deles vêm com uma pequena descrição do trabalho.

O BUENOS AIRES STREET ART subiu três coleções diferentes. A primeira mostra algumas das melhores fotos feitas por artistas internacionais e locais e se chama Buenos Aires – a graffiti and street art capital.

A segunda exibe os maiores murais da cidade. As fotos estão reunidas sob o título Villa Urquiza and Coghlan Art District. Por fim, a terceira mostra como foi feito o maior mural da cidade, em agosto de 2013 – Martin Ron giant mural in Villa UrquizaA Graffitimundo tem outros quatro álbuns.

street-art-cabaio

Trabalho de Cabaio. Foto: Graffitimundo

 

Aliás, a GRAFFITIMUNDO - que muita gente já conhece pelos tours de grafite por Buenos Aires – abriu recentemente uma galeria de arte em San Telmo. O lugar se chama UNION e nasce com a proposta de reunir trabalhos de artistas sul-americanos, numa celebração da arte urbana contemporânea.

Quem está expondo agora na UNION  é Santiago Spirito, mais conhecido como Cabaio, que faz um trabalho que amo de paixão e que vocês já devem ter visto pelas ruas de Buenos Aires. Ele também participa também do coletivo de arte Chen-Chen, junto com a artista brasileira Clara Domingas. Cabaio está com uma mostra individual chamada Lluvia, com 20 obras em papel, tela e madeira.

A galeria fica em Carlos Calvo 736 e está aberta de segunda a sexta, das 10h às 18h. Contato: uniongaleria@gmail.com. 

 

 

 

O post Google Institute mapeia ‘street art’ em Buenos Aires apareceu primeiro em Buenos Aires: Aquí me quedo.


Continue lendo → http://aquimequedo.com.br

A história por trás do hino argentino na Copa

Brasil, decime qué se siente / tener en casa a tu papá / Te juro, que aunque pasen los años / nunca nos vamos a olvidar / Que el Diego te gambeteó / que Cani te vacunó / que estás llorando desde Italia hasta hoy / A Messi lo vas a ver / la Copa nos va a traer / Maradona es más grande que Pelé
credence tapa

Hit tem 45 anos

A letra é de “Decíme que se siente”, o hino da torcida argentina na Copa do Mundo de 2014. Cada vez dá mais o tom nas festas, se escuta nas arquibancadas e nas ruas.  E até no avião que me levou de Buenos Aires para Porto Alegre, cantada pelo piloto! Um hit!

Mas descobri pelo NUEVO DIARIO WEB que a música não foi estreada nesta Copa: o tema original tem 45 anos! Trata-se de “Bad Moon Rising”, que John Fogherty escreveu para Green River, terceiro ábum de estudio de Creedence Clearwater Revival.

A música debutou como single em 1969 e  chegou ao segundo posto no ranking da Billboard.

A letra original fala de uma “má lua”, que traz problemas como relâmpagos, terremotos e furacões.  E já foi gravada por mais de 20 artistas de diferentes estilos. Em algum momento da última década foi descoberta pelos torcedores. Um dos primeiros a usar foram os de San Lorenzo de Almagro.

Dizia assim: “vengo del barrio de Boedo, barrio de murga y carnaval / te juro que en los malos momentos, siempre te voy a acompañar”. Mas Boca e Nuñez também a adotaram.

Fiquem com a versão original e duas das versões.

 

O post A história por trás do hino argentino na Copa apareceu primeiro em Buenos Aires: Aquí me quedo.


Continue lendo → http://aquimequedo.com.br