Página 4

Carlos Gardel revisitado em versão pop

O cantor portenho Marcelo Ezquiaga anunciou o lançamento de “Morocho”, um disco feito em homenagem ao maior cantor de tango de todos os tempos, Carlos Gardel, no ano em que se lembra os 80 anos de sua morte. Com uma diferença: os clássicos serão apresentados em dueto com uma série de gente talentosa, como Moreno Veloso, Martín Buscaglia, Leo García, Onda

O post Carlos Gardel revisitado em versão pop apareceu primeiro em Buenos Aires: Aquí me Quedo.


Continue lendo → http://aquimequedo.com.br

Lençóis Maranhenses, um destino dos sonhos

“Toda vez que eu via uma reportagem sobre os Lençóis Maranhenses eu pensava em que algum dia eu...

The post Lençóis Maranhenses, um destino dos sonhos appeared first on Viagem Cult.


Continue lendo → http://www.viagemcult.com

O tango no Brasil: o ritmo invade as quadras de Brasília

A partir desta semana, o Aquí me Quedo começa a divulgar como anda o tango pelo Brasil. Se você sabe de alguma milonga na sua cidade, por favor, avise para a gente no gisteixeira@hotmail.com. Quem estreia esta série é Brasília, onde aprendi a dançar e um dos lugares que está colocando mais energia na divulgação da

O post O tango no Brasil: o ritmo invade as quadras de Brasília apareceu primeiro em Buenos Aires: Aquí me Quedo.


Continue lendo → http://aquimequedo.com.br

Papa Francisco por Dito Von Tease

Dito Von Tease tem hoje o dedo mais famoso do mundo! Ele é um artista digital italiano, que vem alcançando reconhecimento com o projeto ‘Ditology’. Ou seja, usa seus próprios dedos como base para retratar todo o tipo de personalidades. Dito é um pseudônimo (em italiano, quer dizer dedo). A identidade real do artista é

O post Papa Francisco por Dito Von Tease apareceu primeiro em Buenos Aires: Aquí me Quedo.


Continue lendo → http://aquimequedo.com.br

O chamamé como ponte entre duas culturas

Luiz Carlos Borges talvez seja o brasileiro com mais horas de voo na ponte Porto Alegre-Buenos Aires.  O acordeonista pisou pela primeira na Argentina aos 11 anos, num festival de chamamé em Santo Tomé, em Corrientes. Nunca mais parou de vir. São 51 anos de cruzar o Rio da Prata, sendo a última para nos presentear com um super

O post O chamamé como ponte entre duas culturas apareceu primeiro em Buenos Aires: Aquí me Quedo.


Continue lendo → http://aquimequedo.com.br