O Fascinante Chihuahua – Informações

O maravilhoso pet Chihuahua na História

A proveniência do Chihuahua é rodeada de polêmica. Nos anos 900 tinha um cachorro da raça Techichi, essa espécie coabitava no mesmo período dos Toltecas, e o Chihuahua seria originário do Techichi. O Techichi era constatado em várias artes rupestres dos mosteiros neste período. Os Astecas concebiam os Techichi como uma raça “santa”, por estes serem os orientadores de almas das trevas.
Outra hipótese garante que esses cães teriam uma origem bem mais antiga e que sua localidade seria as terras orientais, alicerçando-se na tradição miniaturista dos povos do Oriente e teriam sido trazidos para as terras americanas nos navios que realizavam comércio com a Ásia.
A única questão em que os especialistas concordam, se refere à denominação deste espécime: Chihuahua é a denominação de um dos estados mexicanos onde estes pequenos cachorros eram vendidos por intermédio dos agricultores para os excursionistas. Já na metade do século XIX eram muito conhecidos nas regiões fronteiriças entre México e os EUA, sendo que o primeiro exemplar admitido no AKC – American Kennel Club foi no começo do século XX, mais precisamente.

Peculiaridades do Chihuahua

O Chihuahua é um espécime de orelhas grandes, até mesmo desproporcionais para o porte do seu corpo, que é compacto, mais alongado do que alto. A sua cauda é curvada sobre o dorso. Esse espécime é capaz de ser visto em colorações como o loiro claro, areia, castanho e prata. Chihuahua pode ser unicolor ou sarapintado e tem 2 alternâncias de pelo, a curta e a esticada, bem como a ondeada, o que é mais raro.
A pele dessa espécie é lisa e sedosa e as cadelas frequentemente são ligeiramente mais peludas e maiores. Todas as colorações do cachorro são possíveis, também todas as combinações de cores e quanto mais esquisito ele for, mais admirados eles vão ser. Independentemente destas ponderações, a coloração mais frequente é o rubi fosco.
Graças ao porte físico, é essencial ter bastante atenção com um Chihuahua dentro de casa por causa de serem pequenos e frágeis, principalmente quando filhotes. Seu comprimento, tanto para o macho como para fêmea, encontra-se entre quinze e vinte e dois centímetros. Independentemente do seu tamanho, é muito similar a um Dobermann e ainda com um Aidi, que chegam a pesar até quarenta vezes mais do que o Chihuahua.

Psicológico da raça Chihuahua

Esse espécime é capaz de se afeiçoar, especialmente, a seu proprietário, sendo reputado como um cão de um só indivíduo. Ele é fechado com estranhos, todavia geralmente se dá bem com outros cachorros e animais de estimação. Em razão de seu porte, eles vão querer defender o seu dono, contudo não serão completamente eficazes. O seu comportamento varia: alguns espécimes serão bem assanhados, outros mais discretos. Embora, 100% dos cães somos capazes de perceber que ele é um cachorro muito genioso.
É um cão rápido, alerta, dotado de grande presteza, repleto de ânimo e audácia. Por almejar se tornar um grande cachorro de vigia, ele está sempre em alerta. Audacioso, o espécime da espécie Chihuahua pode encarar a cachorros mais grandes. É bem carinhoso com o dono, todavia não tolera facilmente pessoas desconhecidas. Ladra bravamente, dando o alerta sob o menor sinal suspeito.
Caso você deseje possuir um cão dócil, esteja muito concentrado nessa orientação: você deve ser o modelo. Este animal espelha-se bastante em seu dono. Não é uma espécie especialmente tolerante com crianças bem pequenas e é capaz de atacar se estimulado, consequentemente é mais indicado para proprietários adultos, ou para famílias que tenham crianças mais velhas, que saibam entender-se com o espírito alvoroçado e impaciente do Chihuahua.

A Superioridade da raça Chihuahua

Este espécime é bem dócil e versátil, sem mencionar a sua capacidade intelectiva aguçada. O seu comprimento o torna um cão harmonizável a diversos recintos, incluindo edifícios, mansões e fazendas.
O Chihuahua pode ser um cão complicado de adestrar, embora com um mínimo de serenidade e afeto ao cachorro é possível. O benefício dos Chihuahuas em comparação aos outros espécimes é que, pela sua sagacidade, são capazes de ser instruídos por todo modelo de treino. Quanto desde filhotes você sociabilizá-los com outros cachorros e pessoas desconhecidas, mais natural será a adaptação desses espécimes.
Tudo que o Chihuahua pode fazer no que refere a se exercitar, como caminhar ou brincar, por causa do seu tamanho, é capaz de ser realizado dentro de sua residência. Não existe necessidade de grandes espaços para se possuir um Chihuahua. Apesar disso, eles gostam, como as outras espécies, de efetuar caminhadas diárias pela rua com seus proprietários.

Problemas normais do Chihuahua

Chihuahuas geralmente são onívoros, isto é, comem de tudo e é necessário possuir uma atenção especial com a alimentação adequada e moderada pra eles. Contudo nunca passe na quantidade! O fundamental é excelência. Você é do tipo que não se importa em alimentar o seu cão com chocolate ou qualquer tipo de doce? Pois é melhor você mudar isto. O chocolate é inconveniente a todos os cães, e com os Chihuahuas é exceção. A absorção destas substâncias no corpo dessa espécie pode ocasionar vários problemas, levando, ainda, seu cachorro ao falecimento.
Os cachorros que tem gordura em excesso, comumente possuem complicações de ligamentos, bronquite e uma existência mais encurtada.
Diversos potenciais consumidores desta raça buscam animais profundamente pequenos, entretanto é preciso observar, na hora da definição, se não estão doentes ou desnutridos ou, se forem saudáveis, em alguns casos serão capazes de possuir uma vida curta e problemas sérios de saúde. Não vá supondo que toda ração é ótima! Para todo Chihuahua há um modelo de ração, diversificando pelo porte, tamanho e peso.
Como pontos inconvenientes somos capazes de afirmar que cães da espécie Chihuahua são bastante assustados, despeitados ou até mesmo bravos.

Atividades e perfil psicológico da raça Chihuahua

Por ser um cachorro bastante desassossegado, não se assuste se você encontrá-lo disparando de um lado para ou outro de sua casa. Ama percorrer o jardim ou fazer passeios curtos com coleira e adora acompanhar a família em exercícios ao ar livre. Essa espécie é especificamente para morar dentro do lar. O quintal não é para esse cachorro. Ele detesta o frio e procura calor. Os cuidados com o pelo são pequenos. Escove-o de duas a três vezes toda semana.
Oferte amor para o seu cachorro continuamente. Eles optam por um membro da família como “seu” e sentem muita saudade desta pessoa quando ela está afastada.
Nos passeios, nunca utilize coleiras, porém, sim, peitorais. Sem contar que esse peitoral protegerá o Chihuahua de um Colapso na traquéia.
Alimente-o com ração com bastante carne. Para uma nutrição mais eficiente, assegure-se que o alimento tenha, pelo menos, 30% de proteína e vinte por cento de gordura. Quanto menos fibra, melhor, preferencialmente menos de quatro por cento.

Os Filhotes do cão Chihuahua

Ainda que os filhotes sejam bastante pequenos, existe demasiada energia de sobra para estes cachorrinhos. No entanto, têm que ser tomados cuidados excepcionais a fim de que nos primeiros meses de vida ele não seja vítima de tombos que possam lesar sua ossatura ainda se desenvolvendo.
Filhotes de Chihuahuas não são aconselhados para viver com crianças. Porém, caso escolha por obter um, dobre a sua atenção e nunca deixe uma criança sozinha com um Chihuahua.
Entretanto os filhotinhos sempre lidam bem com outros espécimes, também distraindo-se e correndo com eles. Todavia, ainda que divertindo-se, algum incidente é capaz de acontecer, nesse caso certifique-se de que o seu bicho tenha um comprimento e físico parelho com seus “amiguinhos”. Caso tenha vontade de banhá-lo, somente o faça logo após os 5 meses, quer dizer, quando a última dose da vacinação for ministrada.
Para obter um cão saudável, jamais selecione um filhotinho de um criador negligente ou em uma loja de cães sem proveniência. A origem é muito importante, pois, se os genitores são saudáveis, certamente as suas crias também irão sê-lo, pois existe o risco das doenças serem genéticas.

Curiosidades a respeito do Chihuahua

– Esta raça possui uma vida mais longínqua, sendo capaz de resistir mais tempo em comparação as demais espécies. E o porte costuma interferir, pois o grande Dog Alemão geralmente tem uma vida menos duradoura e o pequenino Chihuahua pode ultrapassar os vinte anos. Esta raça não tem grandes problemas de saúde. Marilyn Monroe era fã de Chihuahuas. Ela possuía variados animais domésticos: um felino, um passarinho, um cavalo e diversos cães, o que inclui uma Chihuahua chamada Josepha.

Entenda mais sobre o cachorro Bull Terrier

Origem e História do magnifico Bull Terrier

O Bull Terrier moderno se difere bastante do Bull Terrier do século XIX no que se refere a sua concepção. O Bull Terrier tem origem em cães padrão Bull e Terrier, concebidos como cachorros caçadores e briga, esportes abolidos na Inglaterra neste período. A sua origem é capaz de ser ligada a um sujeito denominado James Hinks, da cidade de Birmingham (Inglaterra), que, logo depois de muitos anos de experimentações, apresentou a raça no início da década de 50.
Com o objetivo de se descobrir um exímio cão para combates, estabeleceu-se na época acasalar com o Dálmata, então criou-se o Bull Terrier que conhecemos. As disputas entre animais (seja entre cachorros ou entre cachorros e touros, entre outros bichos) eram extremamente famosas na remota Grã-Bretanha – vindo a ser efetuadas irregularmente naquele país por bastante tempo, mesmo após a sua proibição.
Para compreender a criação dessa espécie (que pode ser considerada a alteração das misturas entre Bulldogs, English White Terriers e Dálmatas) é importante compreender que os remotos Bulldogs que lhe precederam são originários dos cães mastins – frequentemente utilizados para desafiar bichos de extenso porte físico das mais diferentes linhagens.
O fundamental intento era se gerar um legítimo cão para brigas, todavia, com as inúmeras misturas que foram efetuadas com o passar dos anos, deu-se origem ao que conhecemos atualmente do Bull Terrier.

Características Físicas do Bull Terrier

A obediência é uma coisa existente nestes bichos, eles são incrivelmente obedientes. Ele é bastante ativo, bem resistente e com suas dimensões bem divididas. Sua mandíbula é muito resistente e grande, sua cabeça não apresenta contornos ou buracos, além de sua cabeça ser alongada, firme e vigorosa. Seus olhos são fundos, pequeninos e amendoados, com olhar aguçado. As suas orelhas são eretas, relativamente curtas e aproximadas entre cada uma.
O seu esterno fica mais próximo do chão, possuindo uma cernelha com grande profundeza e o seu dorso esférico e suas costelas são muito arqueadas. O rabo não é muito curto e sua implantação não é exageradamente elevada.
Sua pelagem é bastante curta, carregada e rígida quando tocada. O Bull Terrier mais habitual é branco, inteiramente ou com algumas marcações coloridas. E há o Bull Terrier inteiramente pigmentado, com ínfimas partes brancas.

Como tratar de um Bull Terrier

O Bull Terrier deve ser distraído com um ótimo exercício físico ou com incentivos intelectuais. Deixe o cachorro em um lugar protegido, apesar de que ele adora movimentar-se muito. Ele não deve ficar ao ar livre, porém permanecendo dentro da moradia, com ingresso ao pátio.
Exercícios físicos e mentais são importantes a fim de haver equilíbrio e tranquilidade entre o cachorro e todo mundo ao seu redor, no entanto as várias modificações realizadas com a espécie desde o seu princípio tenham tornado o Bull Terrier mais brando, afetuoso e calmo. Embora, sua procedência segue sendo a de um espécime de luta e, devido a isso, ele tem necessidade de gastar energia de maneira frequente, liberando a energia contida que pode deixá-lo extremamente agressivo defronte a certa condição ameaçadora.
Caso você resida em apartamentos ou espaços demasiadamente pequenos, nem tenha em mente ter um Bull Terrier, eles têm necessidade de espaços bem amplos. Existem pessoas que possuem espécimes como o Bull Terrier em ambientes mais fechados, ainda assim, isso exige bastante empenho dos donos, que devem a todo momento instigar as recreações e a capacidade intelectiva do cachorro (que já é avolumado, considerando que a raça é a sexágésima sexta colocada no ranking que identifica os cachorros mais inteligentes do planeta).
Os cuidados com os pelos são ínfimos.

Vantagens de ter um Bull Terrier

O Bull Terrier não é um cachorro para todo mundo, mas aqueles que aceitam um Bull Terrier serão recompensados por causa dos aspectos positivos desta raça. Sua individualidade é, indubitavelmente, o traço mais distinto destes cachorros. Este cachorro vai segui-lo até os últimos momentos de sua vida, sendo muito fiel a você e seus familiares. O Bull Terrrier nos diverte à medida que sonda ao redor com o vigor de uma criança e a concentração perseverante de um policial.
Tudo que você oferecer ao Bull Terrier, seja um bichinho de brincar ou uma bolinha, ele irá cheirar, brincar por algum momento e, em seguida, irá destruir em questão de minutos. Sem objetos para divertir-se, o Bull Terrier é, indubitavelmente, inovador o suficiente para manter-se atarefado. O anseio de conservar-se distraído é um indício frequente em todos os cachorros, porém é uma peculiaridade vital desta espécie em especial.

Problemas que mais ocorrem no Bull Terrier

Os distúrbios de pele são muito usuais nessa raça, precisamente como a Acne ou Acrodermatite, esta já é demasiadamente mais séria, pois inclusive os bebês são lesados por ela. A Acrodermatite é capaz de ocasionar até lesões em muitas partes do corpo físico do cão.
Um dos significativos distúrbios da raça é a perda auditiva, de um ou ambos ouvidos. Afirmava-se que este transtorno era graças a cor esbranquiçada do cachorro, daí terem sido criados cães mais pigmentados.
O Bull Terrier é para aqueles que admiram cachorros que podem aprender por conta própria, mas não para quem procura possuir um parceiro dócil. Esta é uma espécie de característica irrefutável, que dá a impressão de questionar as ordens que recebe e, por isso, não se recomenda que adquira um proprietário inexperiente, todavia sim, um que possua controle em relação ao cachorro.
Este cachorro é extremamente resistente ao treino, devido a isso ele leva um tempo maior para assimilar em relação aos outros. Ele não é hostil com gente estranha, entretanto, se você deseja que ele também seja festeiro, então é muito melhor habituá-lo desde filhotinho com pessoas novas.

Filhotinhos de Bull Terrier

Precisamente como os cães adultos, os filhotinhos são inclusive uma fonte de vitalidade e têm necessidade de exercício e de coordenação pois, como parecem estar a todo momento procurando algo para se distrair, se forem deixados sozinhos por vários momentos, são capazes de ser muito detruidores. Eles também tem de ser acompanhados todo momento. Deixá-los isolados tem chance de ocasionar muito arrependimento futuramente.
Caso o dono more em apartamento, tenha demasiado tempo para se dedicar às práticas esportivas do cachorro, o Bull Terrier é capaz de ser uma excelente alternativa, porque, além de seu porte pequeno, é um cão que ladra pouco e que seu pelo pequeno necessita de pouca despesa.
O que irá decidir se o seu cão irá ser ofensivo ou não é o tipo de educação que você concede para ele: seja carinhoso com o seu bicho e você vai ter um cachorro dócil, obediente e bastante parceiro durante toda uma vida.
Os Bull Terrier são muito robustos, fazendo que, sempre que estão nervosos, possam produzir seriíssimos problemas para quem está à sua frente. Devido a isso o carinho é extremamente crucial. Este cão não é violento, porém, se incitado para um ato deste, é capaz de ser comparado a um Pitbull em estado de fúria.

Fatos interessantes a respeito do Bull Terrier

Seu cão encontrará algo a fim de fazer e, caso você esteja no local, o exercício dele vai ser te fazer gargalhar. Ele gosta de fazer graça a você, então se habitue a observá-lo pulando e se distraindo sozinho, com o propósito de só fazer você alegrar-se. Se você fizer parte das brincadeiras, não vai se desiludir.
Caso ele não consiga chamar a sua entusiasmo, aguarde. Ele vai arrumar uma forma de atrair a sua atenção. Eles vão se queixar, murmurarão e vão balbuciar para divertí-lo. Sem misturar isso com grunhidos (que ele irá emitir sempre que preciso), seu Bull Terrrier irá tentar conversar. Assim que alcançar algum tipo de reação, vai utilizar seu aparente infinito vocabulário de modo constante.
Esse atributo pode soar estranho ou até como uma doença para muitas pessoas, porém os donos divertem-se. Os Bull Terriers adoram encontrar todo perfil de arbusto ou uma pequena porção de relva para se acomodar, ao observarem-nas eles não vão hesitar em se recostar abaixo delas.
Ao se aproximar, você irá notar que ele estará com um olhar distante, ele se sentirá muito relaxado e vai se “desligar” desse universo. Logo depois, sem nenhuma causa evidente, o cão vai sair dali, saltará se arrumando de seu refúgio e prosseguirá caminhando. Alguns donos já viram isso acontecer dentro de casa também, quando assentam a árvore de natal e inclusive não foi encontrada nem uma explicação racional para este hábito.

O excepcional cão Border Collie

Origem e História do Border Collie

Logo após o século XIX surgiu o registro inicial acerca da raça Border Collie, na na região da Grã-Bretanha. Em virtude da raça de cão Border Collie foi iniciado uma nova maneira de trabalho para o pastoreio. A maioria dos cães que tinha como função escoltar rebanhos exercia isto latindo a fim de exibir seu poder aos animais. Logo em seguida, eles passavam a dar voltas em torno do gado pra deslocá-los até o local pretendido. A mudança que o Border Collie trouxe foi a capacidade de controlar o gado sem latir. Na verdade, a primeira espécie que deslocou um rebanho sem latir foi o Hemp, o qual é considerado o antecessor imediato da espécie canina Border Collie.
O que sabemos do cão Border Collie deve-se bastante ao Hemp. Não havia um interesse efetivo à aparência da raça. Para as funções do pastoreio, o que vinha a ser fundamental conhecer era a aptidão e o temperamento da raça.
Primeiramente, eles foram chamados de “Sheepdogs”, em outras palavras, “cachorros pastores de ovelhas”. A denominação contemporânea despontou no ano de 1915, quando as pessoas, admiradas pela formosura dos “Sheepdogs” exigiram que a American Kennel Club (AKC) considerasse a espécie, entretanto foi exclusivamente no ano de 1995 que ele foi, a propósito, admitido.

Particulariedades do Border Collie

A cabeça do pet Border Collie é levemente grande, porém não é desproporcional em referência ao seu pescoço e o restante do tronco. Por ora o seu focinho dispõe de uma dimensão mais curta do que outros cachorros do mesmo grupo. Os olhos inclusive são bastante marcantes, aparentando que estão constantemente muito ligados a tudo que está decorrendo em seu meio, com uma forma oval e, comumente, são da cor castanha.
As orelhas do cachorro Border Collie são mais um fator atrativo na cabeça da raça, já que estão a todo o momento caídas para a lateral, contudo como são mais curtas contribuem para que ele assemelhe estar a todo o momento em estado de alerta. O pet Border Collie apresenta uma ótima ossatura e corpo muito proporcional e atlético. Além de conseguirem empregar a sua estrutura física a seu favor, ela ainda é capaz de efetuar outras atividades com muita facilidade.
O olhar é uma das qualidades inigualáveis do Border Collie e com certeza o artifício mais significativo da raça. As ovelhas são surpreendentemente respeitosas ao cão Border Collie, com um singelo olhar elas são apontadas para onde o cachorro deseja. Todavia, existem os demais animais os quais são também tocados pelo olhar do Border, mas eles não se intimidam e, de fato, se sentem completamente furiosos com aquele jeito de olhar.

Pelagem do Border Collie

A raça possui duas variantes em seu pelo: pelo semilongo propiciando uma juba, culotes e um rabo de raposa, e pelo estreito. Nos dois contextos, a pelagem é espessa e de consistência média. A segunda camada de pelagem é bem densa e sedosa, ocasionando ao pet Border Collie ótima defesa das intempéries. No rosto e orelhas o pelo é curto e liso. Esta espécie não possui características muito especificadas com relação ao padrão físico cobiçado, isto acontece devido à sua criação focada ao labor.
Ao longo dos anos o pet Border Collie foi sendo aperfeiçoado com os demais cães que apresentavam qualidades e traços semelhantes relativo à pelagem, devido a isso esse foi um item que acabou por ressaltar no produto final da espécie atual.
Relativo a coloração, o pet Border Collie apresenta uma grande variação de cores, podendo se exibir nas colorações, castanho, avermelhada, preto e, ainda, em uma tonalidade azulada sobre um fundo esbranquiçado, contudo esse não é muito comum.
Em relação à higiene, banhos podem ser concedidos mensalmente, contudo as escovações devem ser frequentes para preservar o pelo sempre na melhor fisionomia. Aos cachorros com uma pelagem longa, você deve escová-los todos os dias.

Psicológico do Border Collie

O Border Collie é um cachorro ativo, leal, cheio de vida e bastante esperto. Estão constantemente dispostos para se entreter e inclusive trabalhar. A sua capacidade de aprendizagem é bastante alta e ele é um cão muito submisso perante seu proprietário, todavia é recatado com desconhecidos e não muito dado a práticas de cachorro sentinela ou proteção de patrimônio, como por exemplo.
Fora de ser bastante obediente, o cachorro Border Collie é um cão que se sente contente ao receber um pedido ou comando de seu proprietário e os seus vestígios iniciais de lealdade já são capazes de ser vistos desde o desmame. A fim de que você tenha muito êxito no treino, é vital que você comece a adestrá-lo o mais cedo possível.
Você já tem outros animais de estimação e quer possuir um cachorro Border Collie? Pode ficar sossegado, pois esta espécie se encaixa tranquilamente com qualquer indivíduo ou os demais padrões de pets. Considerado dono da raça mais esperta do planeta, esse cão também geralmente é extremamente fiel, e o seu costume de ‘ficar encarando’ outros animais pode fazer com que certos deles se irritem demasiadamente.

Benefícios de ter Border Collie

O cão Border Collie é um excelente cão de companhia. Seu comportamento um pouco auto-suficiente pode fazer dele um cachorro um pouco isolado, contudo na ocasião em que criado desde filhote no meio de adultos acaba por ficar mais dependente deles. Ele inclusive apresenta uma facilidade no relacionamento com os demais cachorros, apesar de preferir e de manter um comportamento mais isolado dos demais animais da casa. Ele prefere conviver com cachorros da mesma espécie.

O cachorro Border Collie é um animal absolutamente fiel e dedicado aos seus donos demonstrando visivelmente a sua felicidade em executar trabalhos e comandos específicos no momento em que ordenados por seu proprietário. Focado, o cachorro dessa espécie tem o hábito de se doar por completo ao que lhe é proposto, sendo inclusive, bastante desconfiado com relação a pessoas desconhecidas e bastante defensor e enciumado com as pessoas mais próximas.
A sua potência anatômica é um individualizador. Caso ele precise de exibir sua agilidade, não se surpreenda! Ele tem uma impecável estrutura corpórea, possuindo bastante agilidade e força. No seu cotidiano ele se mostra bem receptivo ao operar em grupo. Se bem treinado, ele tem a capacidade de decompor um trabalho com outro cachorro em um mesmo conjunto sem problemas. Se por acaso a disputa exigir uma alguma habilidade ou capacidade, portanto não se assuste com o que o pet Border Collie é capacitado a fazer.

Problemas comuns do Border Collie

O Border Collie é um cachorro musculoso e extremamente saudável, praticamente isento de problemas genéticos, embora seja comum em machos problemas de osteocondrite dissecante, e anormalidade na cartilagem. Além da vacinação e da vermifugação, é sugerido fazer exames constantes na área dos quadris e ocular do cão, já que o Border Collie tem uma determinada tendência a desenvolver distúrbios nestas áreas distintas durante a sua existência.
Depois dos 3 anos, ele é capaz de exibir um grande problema de retina, chamado de “Atrofia Progressiva da Retina”, que é uma anormalidade devido à um acúmulo de melanina. Hoje, apenas 1% dos pet Border Collie ao redor do globo têm esta doença, um avanço, visto que já chegou a 12% da raça.
Outra doença que, lamentavelmente, é capaz de afetar os pets Borders Collie é a “Anomalia do Olho do Collie”, essa se identifica por um deslocamento da retina e é capaz de manifestar-se bem precocemente. Ela produz muito sangramento e pode chegar até à cegueira, e 2% dos cães já foram apontados com esta enfermidade. Bem mais incomum, entretanto não menos grave, é a Displasia Coxo-Femural, essa que se caracteriza por uma anomalia do encaixe da bacia e do fêmur.
Como os cães Borders Collie são muito tolerantes para dor, eles são capazes de não transparecer seja qual for o tipo de lesão, por conta disso você deve levar seu cachorro ao veterinário constantemente, além disto, eles podem viver até os 14 anos de idade.

Como cuidar de um Border Collie

Você deve instigar seu cão a realizar determinados atividades físicas todos os dias, ao menos por uma hora, o que faz com que seu cachorro fique mais saudável. Eles carecem de atenção com muita frequência, de outra forma eles são capazes de se entediar facilmente e iniciar a apodrecer os seus objetos em casa. O cão da raça Border Collie que fica muito tempo amarrado, é capaz de ficar bastante agitado e tornar-se destrutivo.
Consequentemente, habitar em uma residência ou apartamento grande e que tenha acesso a áreas abertas já é um grande começo para manter um pet Border Collie saudável, uma vez que seu nível de energia é bastante alto e ele precisa de locais onde seja capaz de correr e divertir-se.
Poucos cachorros são tão voltados ao serviço como o Border Collie. Ele é um cachorro completamente meigo, que ama ficar em companhia da sua família.

Filhotes de Border Collie

Para os filhotes da raça Border Collie a predominante causa para a aprendizagem é o interesse do dono. Não importa a idade, desde que você esteja motivado, você será capaz de adestrá-lo com bastante tranquilidade e simplicidade.
Mesmo filhotes, os cães desta espécie já constituem a sua específica posição corporal. Consoante os especialistas, esta posição é uma forte aliada na advertência do gado.

Curiosidades sobre o Border Collie

– O poder do cão Border Collie é a habilidade de dominar e estabelecer sua autoridade sobre as ovelhas sem oferecer latidos agressivos ou atos violentos como morder. Um cão Border Collie com sua imposição procura manter o domínio com absoluta autoridade em relação ao seu gado, sem intimidar ou amedrontar as ovelhas. A enorme diferença desta espécie para todas as outras desenvolvidas para o pastoreio é o fato do cão Border Colliecão Border Collie não ladrar, devido a isso ele se ressaltou com relação as demais espécies.
-O Border Collie é o cão mais sagaz do planeta, consoante o livro “A Inteligência dos Cães”, do autor Stanley Coren. Ele é capaz de administrar o gado única e simplesmente pelo olhar, tal como se ele enfeitiçasse o gado.
-De acordo com alguns especialistas, o nome Collie origina-se de um vocábulo anglo-saxão, que quer dizer “preto”, apesar de que não se pode confirmar esta teoria. Os demais dizem que deriva da palavra Welsh Coelius, que quer dizer leais, à medida que alguns certificam que o nome deriva do Colley o qual se representa a um padrão de ovelhas escocesas. Esses cachorros eram muitos utilizados em divisas, daí a origem de seu nome “Border”: Mais exclusivamente nas divisas da Escócia e do País de Gales com a Inglaterra.

O excepcional pet Beagle

O excepcional pet Beagle

Também na Grécia Antiga pôde-se perceber a existência de um cão muito assemelhante ao Beagle inglês. Em acordos que foram datados no período de 433 A. C. é possível ler sobre uma espécie de cachorro que possui a capacidade de detectar a presença de lebres a centenas de metros de distância.
Pulando da Grécia Antiga pra a Inglaterra do século XI também achamos diversas referências a espécies que talvez sejam as origens dos cruzamentos que ocasionariam no cachorro Beagle que conhecemos nos dias atuais. Duas, especificamente, começaram a ser misturadas com finalidade de averiguar os diferenciais que elas mostravam: Talbot e Galgos Ingleses. Essas espécies são especificadas como as mesmas linhagens dos cães Beagle modernos.
Mesmo com toda a tecnologia existente com o objetivo de se encontrar a origem de algumas raças de cães, houve entre os pesquisadores uma pequena complicação em encontrar os registros apropriados para se chegar até a origem do cão Beagle. O termo Beagle, em diversos registros antigos, era usado para se referir a qualquer cão que fosse de tamanho médio. Esses registros datavam especialmente da Grã-Bretanha do século XVIII. Com o intuito de se desenvolver uma raça de cães para a caça, principalmente de coelhos e lebres, percebe-se nestes documentos desse período vários registros acerca da preocupação em se gerar uma espécie predadora. Com o intuito de se chegar até um cão eficiente na caça, via-se a carência de um cachorro com um olfato aguçado.
No que diz respeito às referências mais atuais, tudo aponta que a base para a espécie atual tenha sido uma matilha criada pelo reverendo Phillip Honeywood em 1830, também na Inglaterra. Por volta do século XIX que começou a exportação de cachorros da espécie Beagle para os Estados Unidos. Foi por causa dos EUA que o Beagle tornou-se mais popular. Os cãozinhos norte-americanos ficaram mais famosos naquele lugar do que no seu país natal.

Características do Beagle

Além da sua expressão doce, o Beagle é um cão audacioso, inteligente, bem como carinhoso e alegre. Apesar do seu tamanho mais baixo, não se iluda: ele é um cão bem vigoroso. Possui orelhas longas que caem para os lados e pelagem curta, densa e resistente. Em geral, ele possui três colorações e com as pontas do seu pelo esbranquiçadas.
O peso dos cachorros dessa raça varia bastante, de acordo com a altura e do tamanho do animal. O Beagle pesa entre 8 e 14 quilos, e, além disso, medir entre 33 e 40 cm. Essas informações são da Federação Internacional de Cinofilia.
Os cães da raça Beagle têm um enorme olfato e quando soltos e sem coleira, podem desaparecer seguindo algum rastro, desprezando totalmente os comandos de seu proprietário, mostrando que o seu treinamento deve ser feito desde filhote para evitar este tipo de acontecimento.

Temperamento do Beagle

Se não for ensinado adequadamente, o Beagle tem a tendência de ladrar e uivar bastante, fazendo com que seus donos se sintam enlouquecidos, contudo possuem uma personalidade brincalhona e meiga. Entretanto, não se preocupe: o cachorro Beagle é completamente fácil de lidar. Ele ama brincadeiras com crianças.
São acostumados a ficarem juntos a outros cachorros, uma vez que desde a sua origem foram habituados a estar em matilhas, entretanto, salvo do seu temperamento, ele é um cão de caça bem eficaz. O cão Beagle é capaz de viver tranquilamente, seja em um habitat urbano ou campestre. É um cão que costuma ser muito malandro.
Devido ao seu comportamento teimoso, o mais adequado é que ele venha a ser utilizado desde muito cedo a acatar a seu proprietário. Apesar de sua docilidade e afetuosidade, o cachorro Beagle pode não ser ideal para donos de primeira viagem, uma vez que é um cão o qual tem necessidade de donos firmes e com paciência e o seu treinamento é capaz de requerer tempo e muita dedicação. Inúmeras vezes ele é tido como “um cachorro que não pode ser adestrado”, já que sua pirraça é bem grande.
O comportamento da espécie Beagle é bastante estabilizado. Pela sua bravura e esperteza, eles chegam a ser classificados, ainda, como um cachorro alerta, mas não são agressivos ou acanhados.

Perceba os benefícios de se obter um cachorro da espécie Beagle

– São muito brandos e afáveis
– São extraordinários com crianças
– São amorosos
– Ajustam-se em qualquer habitat, seja casa ou apartamento
– Detêm uma excelente sáude
– Não necessitam de serem penteados todos os dias ou serem tosados constantemente

Pontos fracos

– Tendem a ser destrutivos e fujões
– São indisciplinados e birrentos sendo muitas vezes denominados “cachorros que não podem ser adestrados” pelos adestradores
– Têm disposição à obesidade
– Quando bem filhotinhos, são muito barulhentos e muito cansativos
– Apesar da sua boa condição de saúde, eles têm uma propensão a alergias e eczemas
– Outro problema menos comum, é o chamado “Beagle Tail”, o qual afeta mais cães com a base da cauda grossa. O Beagle Tail é uma inflamação das glândulas anais, que constitui uma dobradura entre o rabo e o ânus, abafando o local e provocando inflamação. Pra medicar a “Beagle Tail” é preciso o uso de anti-inflamatórios somadas a antibióticos.

Como cuidar de um Beagle

O Beagle é um cão incansável e é por causa disso que necessita fazer atividades diárias para gastar sua energia e para que jamais venha a ser infeliz ou obeso, já que é uma raça bastante comilona e possui propensão pra engordar. A alimentação do Beagle deve ser balanceada e bem equilibrada.
O banho pode ser dado de quinze em quinze dias e, depois, uma pequena penteada para remover a pelagem solta, dessa forma você possuirá um cão limpo e muito bem cuidado. Além de tudo, devem ser tomados os cuidados básicos com a tosa higiênica, assim como com o corte das unhas de vez em quando.
Neste momento, o cuidado necessita ser maior relativo aos olhos e às orelhas. No caso das orelhas – pelo motivo de serem alongadas e tombadas – a atenção deve ser total na limpeza, uma vez que essa área é muito propícia ao ajuntamento de impurezas levando o cachorro a sofrer com enfermidades como a otite.
Com relação aos olhos do cão Beagle, a atenção deve ser grande por ser comum ocorrer a Hiperplasia da Glândula de Harder, também chamada vulgarmente como terceira pálpebra, problema que, nos cães dessa espécie, desenvolve uma espécie de carne esponjosa na área ocular do animal.

Filhotes de Beagle

O segredo da ótima harmonia com o Beagle começa com a escolha do filhote, que deve ser feita toda vez junto a um criador honesto e responsável. Filhotes de cachorro Beagle são capazes de ser um grande desafio! O Beagle é um cão deslumbrante com o interior de vagabundo, leal aos seus instintos de caçador.
Os Beagles podem se tornar maravilhosos companheiros, fazendo uma ótima parceria com seus proprietários durante 14 anos ou até mais, mesmo que ele possa parecer “largadão” ou auto-suficiente.
No geral, os Cães Beagle, mesmo filhotes, não mostram nenhum medo ou temor a qualquer coisa, sendo bastante curiosos a partir do seu nascimento. Com o intuito de se ter um cão simples de se adestrar, escolha um filhote menos medroso ou atrevido.
O amor deve ser constante, entretanto você necessita mostrar bastante firmeza quando preciso. Jamais permita que o seu Beagle faça coisas erradas ou travessuras além do necessário. Mostre a seu Beagle quem é que dita as regras! Todavia nunca com hostilidade. Conforme os criadores, corrigir maus costumes é complicado em qualquer espécie, porém é praticamente impossível no momento em que está se tratando de um cão Beagle.

Curiosidades a cerca do Beagle

– A Rainha Elizabeth I mantinha a espécie Beagle conhecida como Pocket Beagle (na tradução, Beagle de Bolso). No momento do seu reinado, ela criava uma quantidade de exemplares de cães Beagle nas suas dependências, vindo a desenvolver, também, uma variação da raça de tamanho extremamente nanico, que tinha entre 20 e 23 cm de comprimento.
– Aconteceu em 2013 um fato marcante relacionado a esss raça: diversos ativistas libertaram vários Beagles do “Instituto Royal” os quais eram utilizados como animais de testes para medicamentos e os demais propósitos.
– A espécie também é dona de um excelente senso olfativo, já tendo sido utilizada, inclusive, pela polícia norte-americana para exercer a função de cachorro farejador em aeroportos, buscando contrabandistas de alimentos e drogas.

A Reputação Akita Inu

No Japão o cachorro Akita é tido como parte do legado natural nacional, precisamente como as gueixas e o sumô. Essa espécie também é bastante tradicional no país por ser considerada como um verdadeiro amuleto da prosperidade. A designação da espécie Akita Inu possui duas significações: “Inu” é derivada do termo “cachorro”, no idioma nipônico; e “Akita” é originado de uma localidade situada em Honshu.Alguns historiógrafos assinalam o surgimento da espécie para cerca de quatro mil anos atrás, ainda assim, os primeiros cães conhecidos da espécie foram relacionados após o século XV. O Akita, primeiramente, foi treinado durante muitos anos como um cachorro de defesa e ataque, uma vez que esta espécie era definida como de estatura grande.Os militantes americanos, ao longo da Segunda Guerra, obtiveram crias dessa raça, após um indivíduo acasalar uma cadela da raça “Akita Inu” com um cachorro da espécie “Pastor Alemão”. Depois deste fato, deu início à raça “Akita inu Americano”, a qual se ficou famosa rapidamente, assim sendo comercializada em variados cantos do planeta. Ambas as espécies, “Akita Americano” e “Akita Inu”, ainda coexistem entre si.

Características Físicas do Akita Inu

Os lobos e as espécies “Akitas” têm várias similaridades. As cadelas da espécie “Akita” possuem em torno de 57 até 63 centímetros, ao passo que os cachorros possuem em torno de 65 a 70 cm. Bem como o porte, a pesagem da raça ainda varia conforme o gênero da espécie, eles podem pesar de 33 até 50 kg. Sua pelagem aparece de forma dupla, sendo que a pelagem do alto é retilínea e dura e o subpelo condensado e macio.O crânio do cão Akita Inu é grande e achatado, a testa larga e o chanfro é bem ajustada. O focinho é de comprimento mediano e afunila ligeiramente. Os olhos da raça são bastante afastados e são constituídos em um ângulo obtuso, seus olhos são castanhos, ligeiramente pequenos iguais aos Spitz. Relativamente direcionadas pra a frente e bem aprumadas, as orelhas são grossas, com um formato triangular e com as suas extremidades bem circulares.Seu pescoço é vigoroso, sem papadas, finalizando em um peito profundo e largo. As costelas costumam ser moderadamente arqueadas e o seu dorso é firme e robusto. A sua parte traseira é bastante ampliada. Sua cauda de inserção se enrola por cima do dorso, além de ser muito forte, enorme e espessa. Além do mais, sua pata é muito forte e arredondada.

Pelagem do Akita Inu

As temperaturas podem estar frias, entretanto a pelagem do Akita Inu busca conservar a sua temperatura aquecida, pois os seus pelos são bem impermeáveis. Sobretudo, a espécie Akita Inu detém uma pelagem bem dura e o pelo inferior oleoso, fazendo com que eles sejam incríveis caçadores embaixo da água. O seu subpelo é espesso, bem oleoso e bastante sedoso, já a sua pelagem superior é firme, retilínea e bem alisada. O pelo da cauda é um tanto mais alongado que o restante de seu corpo, e sua garupa e cernelha são cobertas por uma pelagem ligeiramente mais alongada.
Os pelo do cão Akita tem várias tonalidades: sésamo (avermelhado com as extremidades escurecidas), branco, tigrado e vermelho-fulvo.
Todas as colorações devem apresentar ainda o Urajiro, que é a pelagem esbranquiçada nas laterais do focinho, bochechas, embaixo do queixo, pescoço e ventre, no lado inferior da cauda e parte interna dos membros.
Os cães Akitas trocam seu subpelo duas vezes por ano. O processo de troca da pelagem é muito intenso, podendo ser concluída depois de mais de trinta dias. Eles se lambem habitualmente, tal como os bichanos, devido a isso eles mantém-se higienizados por bastante tempo. Dessa maneira, o apropriado é que tomem banho com a menor frequência possível, com a finalidade de evitar a diminuição da oleosidade natural da pele. As escovações devem ser feitas habitualmente.

Temperamento do Akita Inu

A personalidade do Akita pode ser determinada como manso e receptiva, calma, e este se caracteriza por sua lealdade. Essa espécie é audaciosa, corajosa e muito fiel. Eles farão o possível para defender sua família e sua casa.
É astuto e obediente, contudo trata-se de uma espécie mais indicada para donos mais experientes, que saibam ganhar a confiabilidade do cachorro e ensinar o animal com firmeza e tranquilidade.O cachorro Akita não tem o hábito de ser austero com indivíduos que ele não conhece, no entanto tende a se mostrar indiferente às gente estranha à sua rotina. Determinados cães da espécie Akita podem não se socializar com os demais cães, principalmente os de mesmo sexo, devido a sua característica forte e habitualmente dominadora. Somente os cães socializados prematuramente possuem a inclinação para coabitar com outros animais. O recomendável para que o cão Akita não fique hostil e excessivamente possessivo é que ele seja treinado desde pequeno, assim o Akita poderá se tornar mais sociável.

Vantagens de ter um Akita Inu

cachorros Akita se dão muito bem com crianças, especialmente os que já estão acostumados a coabitar com elas o dia inteiro. Eles podem ser um pouco distantes com novas pessoas (ou crianças demasiadamente barulhentas), entretanto logo se adéquam às novas situações. A despeito de serem bastante vocativos, os exemplares da espécie Akita Inu não são muito de ladrar.Os cachorros Akita Inu são muito protetores, seja de sua propriedade ou das pessoas a sua volta, o que faz deles maravilhosos cachorros protetores, além disto, eles se sobressaem por sua esperteza e sensibilidade. Ocupando a posição de nº 54 na lista que ranqueia os cachorros mais inteligentes do mundo, o Akita inu pode ser facilmente treinado sendo que, assim como a maior parte das espécies caninas, pode aprender com mais agilidade e intensidade quando os ensinamentos são iniciados ainda na fase de filhote.

Problemas do Akita Inu

Em função do porte do cão Akita Inu, problemas como displasia nos quadris ou nos cotovelos podem afetar o cachorro, que possui uma expectativa de vida que gira por mais ou menos 12 anos. Outro problema frequente nos cachorros Akita está relacionado a seus olhos. Eles podem sofrer de “Atrofia da Retina”, conduzindo à cegueira; e, inclusive, suas pálpebras se viram para o interior e machucam suas córneas, esse problema é chamado “Entrópio”.A epilepsia também é uma dificuldade que pode aparecer ao longo da vida do cachorro dessa raça distinta e, por conta dos muitos problemas que são capazes de se apresentar na saúde do Akita, é relevante que os proprietários de um exemplar da raça como animal doméstico os levem para consultas periódicas com veterinários a fim de assegurar o bem-estar do animal e prevenir ou diagnosticar prematuramente uma série de enfermidades.Unicamente os cães socializados precocemente apresentam a predisposição para coabitar com os demais animais.

Como cuidar do Akita Inu

Akitas podem viver em casas com muito espaço ou prédios, contudo o exercício físico diário, como caminhadas, é primordial para o bom progresso da saúde do seu cachorro. O Akita Inu necessita passear diariamente, especialmente se habitar em apartamentos ou pequenas casas onde não existe muito espaço para ele. Entretanto, se você vive em grandes casas, com um espaço bem amplo, aconselha-se que deixe seu cachorrinho livre para que ele possa exercitar-se geralmente.No que se refere a cuidados com o bem estar, é muito importante lembrar que a pelagem dos Akitas deve ser escovada todo o dia ou, ao menos, toda semana, impedindo os nós nos pelos e o acúmulo de impurezas que pode causar problemas de pele como a dermatite.A fim de que os seus cães se desenvolvam perfeitamente, é fundamental também prestar bastante atenção em sua alimentação, pois os cão Akita possuem um bom apetite, então conserve uma alimentação bem balanceada todo o dia.A boa higiene é crucial pra a saúde total do seu Akita. O local que seu cachorro Akita Inu irá habitar deverá ser bastante limpo para que nunca exista riscos de contágio em decorrência das fezes e outros motivos. A limpeza é muito importante independente da raça, contudo, se tratando do cachorro Akita, é inclusive mais essencial. O local onde ele vai ficar deve ser bem limpo e, depois, deve estar bem seco, para que o chão não esteja úmido e, o cão Akita ao se deitar, não deite na umidade, pois essa pode fazer com que ele adquira fungos na sua pelagem e as demais bactérias.

Filhotes do Akita Inu

Um bicho de pelúcia pode ser bem menos fofo do que um filhotinho de cachorro Akita. Apesar disso, por seu temperamento dominante e independente, é conveniente introduzir desde muito cedo o treino de obediência e deixar claros os seus limites, mostrando que o líder é você.No geral, os Akita são uma das raças mais fáceis de se limpar. Apesar de ser uma raça bastante independente, preferem estar junto dos proprietários do que solitários no fundo do quintal. Os Akitas Inus são predispostos em se entediar e estragar os seus objetos ao longo da casa, então uma notável forma de evitar qualquer constrangimento é caminhar com eles frequentemente.Ao escolher um filhote, o mais adequado é sempre olhar os pais da cria e ver o comportamento deles pois esta é uma peculiaridade genética. Procurar um filhote de um canil leal é forma mais correta e mais segura de se adquirir um pet com saúde e sem traumas. Observe ainda o comportamento dos filhotes na ninhada. O temperamento do cachorro Akita varia de raça para raça. Alguns serão mais espertos, outros serão mais obedientes, estes precisarão de bastante pulso firme pra serem ensinados.

Curiosidades sobre o Akita Inu

Hoje em dia, convivem duas espécies de Akita, o Akita Inu e o Akita Americano|Duas raças de Akita
O Akita Inu foi desenvolvido nas regiões noro-orientais do Japão para a prática da caça grossa, isto é, o cachorro era usado pra caçar cervos e ursos.O filme “Sempre ao Seu Lado” – que destaca o ator Richard Gere como ator – conta a conhecida biografia japonesa do cachorro Hachiko, um Akita que por afeto ao dono passou anos esperando ele voltar do trabalho na estação de trem. Mesmo depois do óbito de seu proprietário, Hachiko retornou para a estação por mais de 10 anos, sempre aguardando que seu dono retornasse. Isso aconteceu até o último dia de sua vida.

Boiadeiro de Berna – Origem, Vantagens, Temperamento

O Cachorro Boiadeiro De Berna é uma espécie bastante remota do território suiço, que ao longo dos séculos e com os diversos cruzamentos realizados, acabou se tornando o cão o qual vemos hoje. Para preservar os rebanhos e os gados protegidos, os “Bernois Bouvier” foram bastante requisitados pelos lavradores da Suiça. Os Boiadeiros Bernês foram muito bem usados para tracionar carroças cheias de leite, pois a impecável notoriedade do queijo suíço tornava o leite muito vendido entre os lavradores.
O Cão Boiadeiro Bernese também pertence aos “Sennenhund”, ou seja, aqueles cachorros montanheses, porém somente ele possui uma pelagem longa e sedosa. A origem da raça é somente especulativa. Muitos acreditam que a sua origem se deu após o cruzamento entre as raças Mastiffs e os cães de guarda, durante a Invasão Romana no território Suiço.
O acasalamento constituiu um pet robusto capaz de suportar o clima dos Alpes e desempenhar-se como cão de tração, guardião de gado, e cão de pastoreio. Não teve várias iniciativas durante os anos em preservar esta raça famosa. No final dos anos de 1800, a raça estava em ameaça de desaparecimento.
Um estudioso chamado de Albert Heim começou a estudar os cachorros de proveniência suíça, sendo levado então ao Boiadeiro Bernese. Porém, apenas nos baixos Alpes Suiços que se encontraram estes cachorros. Posteriormente aos estudos de Albert Heim, começou, dessa maneira, a disseminá-los por todo o continente europeu. A melhor raça achada tem o nome de “Durrbachler”, situada no território de Durrbach. Desde o crescimento da raça, modificou-se o título para “Boiadeiro Bernese”. No período de 1926 deu início ao primeiro exemplar do Boiadeiro Bernese em solo americano.

Características físicas do Boiadeiro Bernês
O Boiadeiro de Berna possui três cores, grande estatura e um temperamento bastante aprazível. Em relação à sua história, ele possui uma enorme capacidade de proteção de gados e atividades no pastoreio, sendo, além disso, inteligente, atlético e bastante veloz.
O Boiadeiro Bernês é gigante, forte e muito proporcional. Seus membros são estreitos e ele possui orelhas medianas, triangulares e que caem sobre os lados da cabeça. Sua cauda é densa e pende no torso. Sua cor é bem segmentada: ele tem uma pelagem afinada, bem macia, longa e escura, e, inclusive, com uma tonalidade avemelhada e determinadas marcas amarronzadas ao redor das bochechas, dos olhos, patas e tórax. Possui também manchas brancas em sua cabeça, ao redor do pescoço, torso, patas e ponta da cauda.

Ele inclusive é muito companheiro. Caso o seu dono esteja em casa, ele vai realizar o possível com o objetivo de se encontrar próximo dele, apresentando todo o seu companheirismo. Sua maior alegria é apenas estar com as pessoas favoritas. Dadas essas particularidades, o Boiadeiro Bernese não é um cão adequado para viver em um canil e com certeza será bastante infeliz sem a incessante presença do ser humano.

Pelagem do Boiadeiro Bernês
Sua pelagem é maravilhosa: uma pelagem dupla, grossa, com a parte de fora comprida e uma camada inferior bastante cabeluda. Tipicamente de três colorações, a grande parte do corpo do cachorro dessa espécie é revestida por pelos bastante pretos, com cor de ferrugem e branco vívido. Tem uma marca esbranquiçada no formato de uma cruz contrária, uma mancha branca em torno de seus olhos e no começo da cauda.
A cor dominante do Pet Boiadeiro Bernês é o escuro, que deve ser intenso, com as manchas em marrom bem especificadas na face, em cima dos olhos, nas patas e no torso. Contanto que não ultrapasse o princípio de suas pernas, ele pode ter, também, um pelo branco nos pés.
A pelagem necessita de ser escovada constantemente, com o intuito de deixá-la sempre sadia, além disso, sua pelagem é afinada e alongada. Todo ano o Boiadeiro Bernese perde pelo de forma moderada durante as estações da primavera e no outono. O Boiadeiro de Berna detém uma pelagem que cai bastante, em razão disso a necessidade de constantemente escovar usualmente os pelos dele, a fim de que você consiga conter a abundância de pelos soltos por toda sua residência. Para conservar uma perfeita higiene, oferte um banho nele a cada três meses.
Temperamento do Boiadeiro Bernês
Inteligência, astúcia e afetividade são qualidades do Cachorro Boiadeiro Bernês. Afilie ainda condescendência, elegância e brandura. Jamais esqueça de chamar o seu Cachorro Boiadeiro Bernese para ficar um momento com sua família, dado que isto é o mais influente para ele. Mas não se esqueça de educar a ele como se portar em casa e com as demais pessoas, já que um adestramento é crucial para esta raça. Lento para amadurecer, ele consegue seu tamanho adulto bem antes de chegar a maturidade intelectual.
Mesmo que não seja hostil, ele fará qualquer coisa pra resguardar você e sua família. Habitue-o desde sempre a exercer interação com pessoas estranhas e, principalmente, em locais com inúmeras pessoas ao mesmo tempo, dado que ele é bastante arredio quando não surge alguma coisa nova para ele.
Para você conseguir ter um cachorro bastante dócil, habitue-o desde novo a qualquer coisa que possa ser anormal pra ele, a fim de que ele não crie medo, fique acanhado ou bastante aflito. Mostre a ele ruído, outras pessoas e ocorrências fora de seu habitual para ensiná-lo a como se proceder.
Muitas demandas podem acometer o hábito do Boiadeiro: sociabilidade, treinamento e até fatores hereditários. Cachorros com bons temperamentos são curiosos e travessos, prontos a abordar e ser abordados pelos humanos.
Vantagens de ter um Boiadeiro Bernês
O Pet Boiadeiro Bernês também é um ótimo cão de guarda, que irá alertar todos da casa ao mínimo sinal de aproximação de um estranho ou ladrão. Este pet é visto como completamente leal como um animal de estimação e de companhia da sua família.

As tendências para pastagem e guarda deste cachorro inspiram tudo que ele faz. Caso você tenha crianças no lar, pode ficar tranquilo: as crianças vão amá-lo.

O Cachorro Boiadeiro De Berna possui um intenso querer, mais do que isso, uma necessidade inexorável para o trabalho e, portanto, está sempre procurando um desafio ou uma atividade a fazer. O Boiadeiro vai querer sempre satisfazê-lo, portanto ele irá fazer de tudo com o intuito de se adaptar em diversas tarefas que você der para ele fazer.

Problemas comuns ao Boiadeiro Bernês

Se, por acaso, o Pet Boiadeiro Bernese for desprezado ou constantemente deixado só, é capaz de tornar-se chateado e agitado. Se você conceder alguma coisa pra ele fazer e ele não apreciar, ainda irá aborrecê-lo bastante. Só um pormazinho não é o bastante. Mais uma coisa: ande com ele, ao menos, uma hora ao dia, a fim de conservá-lo bem mental e fisicamente.

Apesar de sua formosura e ao excelente comportamento – ou provavelmente em razão dessas características – hoje em dia, os Pets Boiadeiros De Berna estão lutando pra sobreviver. A espécie dispõe de um pequeno agrupamento de genes o qual resultou em diversos problemas de saúde pertinentes à endogamia (consanguinidade). À proporção que mais indivíduos apuram a respeito da espécie, muitos cachorros com com complicações na saúde estão sendo criados com insuficiente ou qualquer critério. Dessa forma, o Cachorro Boiadeiro Bernese está sofrendo bastante. Com o intuito de se adquirir um Boiadeiro, verifique um bom lugar onde comprá-lo, sua proveniência deve ser muito avaliada para que não apresente determinado tipo de problema com seu cão.

Como Cuidar de um Boiadeiro Bernês
O Cachorro Boiadeiro Bernese não deve morar em apartamento ou condomínio. Pra o seu cachorro desfrutar melhor o espaço, um lar grande com um amplo ambiente é o adequado. Ele inclusive possui energia em demasia. Além de brincar no quintal, ele necessita de pelo menos praticar exercícios vigorosos todos os dias com o intuito de se conservar em excelentes condições de saúde.
Cuide da saúde bucal do seu Boiadeiro de duas a três vez semanalmente, com finalidade de retirar tártaros e bactérias de sua boca. A escovação diária é ainda mais acertada se você quiser evitar a moléstia das gengivas e o mau hálito.
Se, por acaso, o seu cão não consiga puir bem as próprias unhas, então apare-as uma vez a cada mês. Se você pode ouvir as unhas baterem no solo é pelo motivo de estarem muito compridas. Acontecerá uma pequena hemorragia se você cortar no lugar errado, então terá sérios inconvenientes.
Os ouvidos do Cão Boiadeiro Bernese devem ser checados semanalmente por vermelhidão ou mau cheiro, o que pode indicar infeção. Limpe as orelhas com algodão umedecido com produto sugerido pelo veterinário a fim de precaver infecções. Não coloque nada no canal auditivo, higienize unicamente a parte externa da orelha.
Sempre veja a pele do seu animal, analisando qualquer tipo de anomalia, como: infecção, vermelhidão ou sensibilidade, não exite em chamar um médico-veterinário.
Fillhote do Boiadeiro Bernês
Caso você queira um pet satisfatoriamente adequado em um habitat familiar, acostume ele desde filhote às interações com as pessoas do lar. Em razão disso, o proprietário deve determinar desde cedo limites claros ao Boiadeiro. A raça é considerada lenta em termos de amadurecimento emocional e em virtude disso o processo de educação pode e deve ser realizado no decorrer de um período mais longo.
Comece a habituar seu Pet Boiadeiro Bernês a ser escovado e observado desde novo. Manuseie os membros do animal com constância e olhe dentro de sua boca. Pra educá-lo a se comportar na ocasião em que for necessário ir a qualquer consulta, comece a conceder para ele qualquer tipo de gratificação e jamais se esquecendo do elogio na ocasião em que ele se portar adequadamente. Tal como as escovações farão parte de seu dia a dia, o filhote deve ser acostumado a rotina e limpeza e conservação desde filhote.
Além disto, jamais deixe o filhote de Pet Boiadeiro Bernês divertir-se em superfícies duras (como asfalto), pular em excesso ou puxar cargas pesadas até que ele possua ao menos dois anos de vida e até que suas juntas estejam completamente desenvolvidas. Entretanto, ele consegue se esbaldar em um gramado.
Curiosidades a cerca do Boiadeiro Bernês
Com seu pelo grosso e bonito, o Cachorro Boiadeiro Bernês se encaixa satisfatoriamente em temperaturas frias. Por outro lado, com o pelo escuro e grande porte, ele é propenso a sentir-se com calor. Em dias excessivamente quentes, não deixe que ele faça demasiado treino físico.
Se você quer ter um Cachorro Boiadeiro Bernese, entenda que ele tem necessidade de um cuidado excessivo. Ele se desenvolve mais depressa entre os 4 e 7 meses, nesse ciclo ele está predisposto a lesões e distúrbios ósseos. Por conta disso é bom conservá-los em uma dieta de ótima qualidade e baixa quantidade a qual os proíbe de desenvolver-se muito rápido.

Basset Hound – Principais Informações

Basset Hound – Principais Informações

A raça de cachorros Basset Hound foi produzida para capturar espécimes pequenos, como coelhos e lebres, e também é utilizada para este propósito em diversos países. Apesar de serem utilizados para objetivos de caças, os Bassets são incríveis companheiros e, também, amam as crianças.

Informações acerca da Raça

O Basset tem uma imensa envergadura intelectiva e uma aparência notável. O Basset Hound é um bom parceiro da família, assim como um incrível cachorro caçador. Em relação à sua excepcional aparência, ele é excelente para participar de ações publicitárias. A intitulação Basset vem da palavra francesa “basse”, que quer dizer pequeno. O Basset é um cachorro incrivelmente baixo, sua constituição física quase chega a encostar o chão. Seus ossos são pesados e seu corpo atlético, em geral pesa de 25 a 35 Kg. Ainda que não tenha muito mais de 38 cm de estatura, são cães compridos com patas curtas. Eles têm um nanismo chamado “Acondroplasia”, que torna suas pernas bem curtas. Este Cachorro irá desejar ficar em seu colo o tempo que for possível, ainda que nem sempre irá caber muito bem. Por causa de serem cachorros caçadores, eles foram treinados para acossar suas presas por meio do cheiro, por conta disso são notáveis farejadores. Eles são um dos maiores cães farejadores do mundo, estando apenas atrás da raça “Bloodhound”. Estes Basset Hounds possuem pelos alisados, encurtados e de densidade firme que são relativamente simples de cuidar. A maioria desses cachorros vem no clássico padrão três cores: preto, castanho e branco, como também pode ser o que se compreende como vermelho aberto e esbranquiçado (marcas vermelhas em um pelo esbranquiçado), vermelho fechado e branco (avermelhado sólido com patas brancas e rabo), ou amarelado e esbranquiçado. Caso você, algum dia, enxergar algum espécime deste na coloração acinzentada, perceba que, verdadeiramente, essa cor está ligada a problemas de genes, conforme vários estudiosos. O Basset Hound tem uma cabeça arredondada com um focinho curto e bastante pele amarrotada na face que cai sobre a sobrancelha, especialmente no momento em que o cão se encontra cheirando. Essa pele solta ainda faz com que estes cachorros possuam um aspecto tristonho, o que muitas pessoas acreditam que amplia seu encanto. Os Bassets foram constituidos para fins de perseguições, a totalidade de suas características têm um porquê. Essas pequenas rugas que há ao redor da cabeça destes cães têm a função de absorver muito mais o aroma do que eles estão farejando, e as suas enormes orelhas arrastam-se pelo chão e ainda absorvem os odores. As pernas encurtadas do Basset Hound fazem com que esse cão se movimente de forma mais lenta do que cães de patas mais compridas, o que deixa mais fácil para os caçadores seguirem o Basset Hound em caminhadas. Sua cauda é longa e possui uma ponta esbranquiçada no fim, favorecendo a visualização do espécime pelos caçadores sempre que estão caçando em grama elevada. Sendo amestrado, o Basset se torna muito calmo e altamente molenga. Ainda por cima é bem divertido, bem fiel a seu dono e ainda bastante companheiro. Em suas origens, os Basset Hounds foram desenvolvidos como bandos, em razão disso eles amam ficar com seus familiares e ainda ficam amigavelmente com outros animais domésticos. Os Bassets são cães profundamente sociais, eles consideram muito ruim permanecer sozinhos, em razão disso eles podem fazer escândalos se forem abandonados. Seu latido característico é elevado e é capaz de ser ouvido em longas distâncias. O cão da espécie Basset Hound não fica muito ativo dentro de casa, por causa disso pode ter ganho de peso e ficar obeso em pouco tempo. O exagero de gordura é capaz de proporcionar problemas nas costas e nas patas de cães dessa raça. Dessa forma, o exercício frequente é um dever para esses cachorros. Porém, mesmo que preguiçosos, eles amam sair pra passear e principalmente andar, porque possuem uma maravilhosa resistência. O Basset adora farejar, portanto tenha serenidade quando for sair para andar com seu cão. Atente-se para a utilização da coleira, uma vez que eles dispersam facilmente ao farejar um odor que chama a atenção deles. Sempre que sentem determinado cheiro que atraia a sua atenção, eles vão pelas ruas e não se atentam ao seu redor, podendo ser atropelados de qualquer forma. Ao domesticar um Basset, exerça sua paciência. Eles são altamente indisciplinados, persistentes e difíceis de serem educados, portanto busque deixar o adestramento bastante agradável ao seu espécime. Se você conseguir comprá-los com uma guloseima, iria ser pois diversos não vão aceitar por própria vontade. É possível treinar um Basset Hound de maneira tranquila, contanto que você seja tolerante e muito atento. Mas não instrua-os forçadamente, o amor e a gentileza poderão ser seus aliados nesta tarefa. Jamais trate eles rigorosamente e com demasiada grosseria, porque eles são extremamente emocionais e bastante geniosos. O latido de um Basset é típico. Geralmente, uivam em vez de ladrar. Eles ainda têm um latido incomum e murmuroso que usam cada vez que querem atenção ou estão solicitando refeição. Graças a suas expressões entristecidas e pidonas, em algumas ocasiões eles são espertos e conseguem receber numerosas guloseimas. Em geral, eles são bem felizes, divertidos e com ótimo comportamento. Eles são muito gentis com crianças e outros animais da casa. Suas enormes falhas são a tendência de salivar e chorar quando estão sós. Pelo jeito como foram desenvolvidos, o Basset brinca como se estivesse disparando atrás de determinada presa, todavia, com muito agrado e amor, eles são capazes de tornar-se grandes amigos para jovens, a criançada e adultos.

Destaques da raça

Que nem todos os cães de caça, Basset hounds conseguem ser teimosos e árduos de adestrar dentro de casa. Indica-se adestramento com caixotes. Se forem capazes de perceber um cheiro excitante, Basset Hounds são capazes de procurar persegui-lo, não importa quanto risco isto represente. Por conta disso, deixe seu Basset Hound na coleira quando estiver passeando na rua. Com bastante severidade você não conseguirá instruí-lo. Eles são muito irritáveis e rebeldes. Uma das principais razões as quais Basset Hounds são dados para adoção é por babarem em excesso. Por causa da pele frouxa em torno da boca, eles ainda têm a tendência de fazer bastante baderna toda vez que bebem algum líquido. Se você não gosta de cães que realizam bastante sujeira e salivam além da medida, então já sabe: o Basset não é o adequado para você. Eles liberam diversos gases ainda. Contudo se esse problema se manifestar de maneira exagerada, verifique com um médico-veterinário. Provavelmente seja só uma modificação na nutrição. O excesso de peso é um problema verdadeiro para Basset Hounds. Eles amam se alimentar e vão se alimentar demais se tiverem chance. Se ficarem obesos, eles são capazes de chegar a possuir problemas nas costas e nas juntas. Para se nutrir um Basset não obedeça a orientação dos sacos de rações, porém sim, o tamanho e o peso de seu animal. Preferencialmente verifique com um especialista. Alimente-os duas ou três vezes diariamente com o objetivo de se prevenir algum problema porvir. Após o seu cão comer, não o permita que faça atividades física com muita intensidade. Não se esqueça de examinar o cachorro da espécie Basset Hound em torno de 60 minutos depois da refeição com o objetivo de se certificar de que ele está bem. As orelhas compridas do Basset Hound carecem de ser higienizadas por semana a fim de precaver infecções no ouvido. As orelhas tendem a ficar bem imundas por causa delas se arrastarem pelo chão, então tire a sujeira delas com frequência para que a impureza não se junte. Devido ao tamanho de suas patas, não permita que seu Basset fique saltando de alturas consideráveis, pois não é recomendado para eles. Pegue o cão e apoie suas costas para garantir que ele não se lesione ao descer de móveis e outros lugares elevados. Ao passo que crescem, os pequenos filhotes de Bassets têm a tendência de adquirir determinados problemas. Tente não deixar um filhotinho desta espécie exagerar no mesmo momento em que diverte-se e desestimule o pequeno Basset Hound a pular de cima de mobílias. Com dois terços do peso corpóreo na parte da frente do seu corpo, o Basset Hound não é um grande nadador. Se tiver alguma piscina no seu lar, o cuidado precisa ser reduplicado, pois, se, por acaso, o seu Basset pular na piscina, ele pode se afogar tranquilamente. No sentido de evitar constrangimentos porvindoiros, ao adquirir um Basset investigue a sua proveniência. As doenças podem ser transmitidas de raça para raça, devido a isso verifique com o comerciante se, por acaso, o seu cachorro está em condições de saúde adequadas.

História do Basset Hound

Os Hounds foram originados em uma mudança da estirpe de St. Hubert, a qual produziu um cãozinho nanico de pernas muito curtas. Não obstante sua gênese remeter-se ao intuito de caça, precisamente pelo seu físico e suas patas minúsculas, o Basset é capaz de ter sido empregado primeiro como mera diversão. A primeira menção registrada de um Basset Hound foi em um livro de desenhar acerca de caça, “La Venerie”, escrito por Jacques du Fouilloux, no ano de 1585. Os Bassets Hounds são bem parecidos com os contemporâneos Basset Artésien Normand, muito solicitados nos dias de hoje na França. Bastante utilizado pelas pessoas mais simples da França para caçar, sobretudo no momento após a Revolução Francesa, na verdade o Basset foi bastante famoso primeiramente no meio da nobreza francesa. Eles foram importados para a Grã-Bretanha até meados de 1801 e 1900. Lord Galway importou um casal de cachorros da espécie Basset Hound à Inglaterra no ano de 1866 e eles tiveram uma ninhada de 5 filhotes. Então, em 1874, Sir Everett Millais comprou um Basset Hound de origem francesa. Millais alavancou a espécie na Inglaterra e começou um plano de proliferação em seu próprio canil, bem como em contribuição com esquemas de criação estipulados por Lord Onslow e George Krehl. Por seus empenhos para adquirir mídia para o Basset Hound na Grã-Bretanha, Millais é considerado o “pai da raça” na Inglaterra. Millais mostrou primeiramente um Basset em um espetáculo de cães britânicos em 1875. Quando a princesa de Gales, Alexandra, acolheu alguns cachorros Bassets e manteve-os em um canil do palácio real, eles se tornaram ainda mais famosos. Em 1882, o Kennel Club na da Grã-Bretanha aceitou a raça e, no ano de 1884, deu-se origem ao clube inglês Basset Hound. Ainda que o Basset Hound tenha ido para a América, possivelmente, nos tempos das colônias, a espécie não se transformou própria nos Estados Unidos até o princípio dos anos 1900. A AKC (American Kennel Club) intitulou oficialmente a raça no ano de 1916, ainda que o Basset foi catalogado pela primeira vez em 1885. O ano de 1928 foi um ponto de virada para o Basset Hound nas Américas. Naquele ano, o periódico Time apresentou um Basset Hound na primeira página e divulgou uma notícia a cerca do quinquagésimo segundo Westminster Kennel Club Dog Show, no Madison Square Garden, elaborada como se tivesse sendo vista pelos olhos de um cachorrinho da espécie Basset Hound. No momento após esta divulgação, o encanto do Basset foi encontrado e ele ficou mais afamado a cada dia. Devido à sua linda fisionomia, o Basset foi inserido culturalmente, de forma geral, por volta da década de 60. O Basset é tão popular que foi especificado pelo AKC em 28º de cento e cinquenta e cinco raças existente no mundo. Isso revela como o Basset se alastrou pelo mundo. Os donos de cachorros da espécie Basset Hound enaltecem sua paixão pela espécie de maneiras que são tão particulares como a aparência dos seus cães. Milhões de famílias e de Bassets vão a espetáculos únicos que acontecem em várias regiões do mundo.História do Basset Hound

Os Hounds foram criados em uma alteração da estirpe de St. Hubert, que originou um cachorrinho nanico de patas bem pequenas. Apesar de sua origem remeter-se ao objetivo de caça, devido ao seu físico e suas pequenas pernas, o Basset pode ter sido usado em primeiro lugar como simples curiosidade. Foi no livro ilustrado a respeito de cachorros de caças, “La Venerie”, do ano de 1585 que tivemos o primeiro documento do Basset Hound. Os Bassets Hounds são muito parecidos com os contemporâneos Basset Artésien Normand, bastante solicitados atualmente na França. Muito utilizados pelas pessoas mais simples da nação francesa para perseguir, em especial depois da Revolução Francesa, na realidade o Basset foi muito famoso inicialmente no meio da aristocracia francesa. Eles chegaram na Inglaterra até metade do século XIX. Lord Galway trouxe um casal de cachorros da raça Basset Hound para a Inglaterra no ano de 1866 e eles geraram uma ninhada de 5 crias. Foi Sir Everett Millais quem trouxe um Basset Hound do país francês, no período de 1874. Em associação com Lord Onslow e George Krehl, Millais passou a ampliar a raça na Grã-Bretanha, tendo um próprio canil para isto. Por seus esforços para obter publicidade pra o Basset Hound na Inglaterra, Millais é tido como o “pai da raça” na Grã-Bretanha. A primeira exibição de um Basset foi no ano de 1875 em um espetáculo para cachorros das ilhas da Grã-Bretanha. Poucos anos mais tarde, a raça tornou-se inclusive mais conhecida quando Alexandra, a princesa de Gales, manteve Basset Hounds nos canis reais. Em 1882, o Kennel Club na da Grã-Bretanha registrou a raça e, no ano de 1884, deu-se início ao clube britânico Basset Hound. Mesmo que o Basset Hound tenha chegado à América, provavelmente, nos tempos das colônias, a raça não tornou-se própria nos Estados Unidos até o princípio dos anos 1900. O American Kennel Club (AKC) começou a documentar Basset Hounds no ano de 1885, sendo o primeiro, um cão denominado Bouncer, porém foi no ano de 1916 que o AKC reconheceu de maneira formal a espécie. Entretanto, na América, no ano de 1928, foi que o Basset sofreu uma ampla reviravolta. Houve uma história divulgada na revista Time, onde esta teria sido provavelmente observada pelo ponto-de-vista de um cãozinho Basset Hound. Esta revista também pôs a foto de um Basset Hound na capa. Após a essa divulgação, o encanto do Basset foi descoberto e ele ficou mais famoso a cada dia. O Basset Houd se instaurou na cultura pop com grande estilo na década de 1960 por sua aparência. O Basset é tão famoso que foi classificado pelo AKC em 28º de cento e cinquenta e cinco espécies existente no planeta. Isto demonstra como o Basset se espalhou no mundo todo. Os donos de cães da espécie Basset Hound comemoram seu carinho pela espécie de formas que são tão particulares como a fisionomia de seus cães. Milhares de familiares e de Bassets vão a eventos exclusivos que ocorrem em muitas localidades do planeta.

Tamanho do Basset Hound

Se sua moradia possuir inúmeros degraus de escadaria não é sugerido que se tenha um Basset, visto ele é demasiadamente vigoroso e você necessita de refletir se vai conseguir erguê-lo sempre que for preciso. E no momento em que ele encontrar-se enfermo e impossibilitado de andar: você irá ser capaz de erguê-lo cada vez que for necessário?

Personalidade do Basset Hound

O Basset é muito divertido, inclusive no que concerne a sua fisionomia frágil. O que efetivamente retira a sua concentração são os cheiros que ele sente. Ele preserva-se calmo, porém concentrado o bastante a fim de que seja um admirável cão vigilante. Como todos os cães rastreadores, ele pode ser teimoso quando se trata de treino e de conceder respostas a comandos. Ofereça a ele prêmios e palavras de amor e note os resultados surgirem. Como todos os cães, o Basset Hound tem necessidade de sociabilização desde bem pequeno – exposição a todos, sons e experiências diferentes. A sociabilização irá ajudar a assegurar que seu cachorrinho Basset Hound desenvolva-se para ser um bicho estabilizado.

Saúde do Basset Hound

Basset Hounds geralmente são saudáveis, porém, que nem todas as espécies, são propensos a determinados problemas relacionados à saúde. Alguns Basset Hounds apresentarão as doenças habituais à espécie, todavia é fundamental ter consciência delas caso você queira ser proprietário desse cachorro. Se você está obtendo um filhotinho de cão, encontre um bom tratador que irá lhe demonstrar autorizações de saúde dos pais deste filhotinho. Estas permissões irão fazer com que você permaneça mais calmo em relação à saúde do seu cãozinho. Dilatação gástrica-volvulus (GDV): depois de fazerem exercícios físicos ou alimentarem, ingerem grandes porções de água instintivamente. Muita gente acredita que o alimento oferecido ao seu cachorro interfere ainda. A dilatação é mais habitual entre cães mais idosos, porém pode ocorrer em em qualquer fase da vida. A dilatação acontece ao passo que o estômago é distendido por gases ou ar e posteriormente torce (torção). A volta do sangue ao coração é retida, pois o cão não consegue vomitar ou arrotar para se ver livre do acúmulo de ar no seu sistema digestivo. O cão entra em choque logo após a pressão dele despencar. Sem atendimento médico imediato, o cão pode falecer. Desconfie de inchaço se o seu cão tem um abdome distendido, está espumando em excesso e vomitando ininterruptamente. Ele também é capaz de estar irrequieto, estressado, letárgico e fraco, com uma frequência cardíaca rápida. Existem suspeitas de que a dilatação gástrica é hereditária, por causa disso recomenda-se que cachorros que produzam esta condição necessitem de ser castrados ou esterilizados. Doença de Von Willebrand: Acarreta uma hemorragia incrivelmente grave prolongada e é uma doença genética. Se você suspeita que o seu Basset Hound possui a doença de Von Willebrand, exija ao seu médico-veterinário que faça um exame de sangue e tome as medidas indispensáveis antes de algum procedimento de cirurgia. Panosteíte (também denominado de Laminação errante ou Transiente): Essa é uma enfermidade indefinível que algumas vezes é vista em jovens Basset Hounds. Sem complicações por muito tempo, os bebês são capazes de superar o quadro até os 2 anos. A claudicação pode ser simples ou complexa. Vários médicos-veterinários não estão conscientes desse distúrbio em Basset Hounds e podem identificar o animal com uma displasia do cotovelo, displasia na anca, luxação da patela ou distúrbios ainda mais significativos. Embora não seja necessária, com um diagnóstico equivocado, um médico-veterinário pode desejar executar uma operação. Requeira a um estudioso em ortopedia pra fazer um exame, pois é necessário antes de se executar qualquer tipo de operação desnecessária. Glaucoma: Basset Hounds são propensos ao Glaucoma, uma condição em que a pressão dentro do olho fica elevada, podendo acarretar a cegueira se não for detectada e tratada o mais cedo possível. Ao verificar que seu cachorro esfrega um ou os dois olhos frequentemente, ou que os olhos deles se mostram avermelhados, não hesite em levar o seu cachorro a um veterinário pra um exame mais detalhado. Em poucas horas, o olho do seu cachorro é capaz de ser afetado pelo Glaucoma, danificando seriamente a retina ou o nervo ocular. Alergias: as alergias são normais a cachorros da raça Basset Hound. Vai-se suprimindo alguns alimentos da dieta do cão até que se encontre o verdadeiro motivador do problema. As alergias de contato são ocasionadas por uma reação a algo que encosta na pele do cachorro, como rouparia de cama, pós para pulgas, xampús pra cachorros ou outros produtos químicos. Elas são curadas identificando e retirando a causaIdentifica-se a causa e, depois, remove-se completamente o que se encontrar fazendo mal a seu cão. Luxação patelar: Bastante usual nos cães menores. É causada no momento em que a patela não está devidamente nivelada. Tal como um pulo, proporciona uma passada inabitual ou uma claudicação na sua pata. É uma circunstância que se faz presente no nascimento, mesmo que o desalinhamento real ou luxação normalmente não suceda até bem mais tarde. Doença do disco intervertebral: Em alguns casos pode existir a perda do controle intestinal e do trato renal, bem como a complicação em se levantar através das patas traseiras ou uma atrofia. Quando for agarrá-lo, apoie bem a sua mão na coluna e na parte posterior de seu cachorrinho. Várias operações podem ser executadas com o objetivo de curar enfermidade, integrando: cirurgia, o emprego de medicamentos ou o confinamento. Em casos menos comuns, até uma cadeira de rodas pode ser usada pra auxiliar o seu cão a se deslocar. Contaminações no ouvido: Trate sempre limpando no interior das orelhas de seu Cachorro toda semana e levando-o para o veterinário se o ouvido começar a feder ou se parecer infeccionado. Obesidade: a obesidade é um distúrbio grave pra raças como Basset Hound. Displasia do quadril: Esta lesão no quadril pode produzir-se por diversos causadores: hereditários, dieta e o ambiente. Basset Hounds prejudicados conseguem ser capazes de levar vidas normais e saudáveis, porém muitos podem precisar de procedimentos cirúrgicos com o intuito de se movimentarem tranquilamente. Esta é uma circunstância genética em que o fêmur não adapta perfeitamente nas articulações do quadril. Existem casos em que o cachorro não irá manifestar nenhum tipo de transtorno com relação à displasia, em outros é bem possível reparar a dor do animal nas quatro patas ou em somente uma. À medida que o cão vai amadurecendo, a artrite é capaz de se dilatar e é preciso executar exames de raio-x pra atestar o distúrbio. Não sugere-se colocar cachorros para acasalar com esta doença. Caso você esteja adquirindo um cãozinho, exija ao tratador que ateste que os pais foram verificados com relação à displasia do quadril e estão livres do distúrbio. Como dito antes, inúmeros fatores podem originar este transtorno: fora o hereditário, determinantes ambientais, como o desenvolvimento veloz, uma dieta profundamente rica em calorias ou feridas adquiridas devido a pulos ou quedas em pisos escorregadios.

Cuidados com o Basset Hound

Esses cães não devem viver ao ar livre em condições exageradas seja calor ou seja frio. Os cachorros dessa espécie ficam inativos dentro de residência, radiantes por deitar ao sol ao longo do dia, porém eles vão gostar realmente de uma comprida caminhada, com vários aromas para serem percebidos.

Alimentação do Basset Hound

Porção diária aconselhada: 1, 5 a 2, 5 xícaras de ração de ótima qualidade por dia, separada em duas refeições. Diversos fatores afetam na quantidade de alimento que seu animal consome: o seu porte, o metabolismo, o nível de atividade e sua idade. A quantia de comida difere para os cães, tal como varia para os humanos. É quase impossível dizer que um cachorro extremamente ativo vai precisar de mais ração do que um cachorro que vive reclinado. A qualidade do alimento pra cães que você compra também faz a diferença – quanto melhor o alimento para cachorros, você vai sustentar o cão melhor e menos quantidade irá precisar ser colocada na vasilha. Todo mundo sabe que o Basset é inclinado à obesidade e ama se alimentar. Conserve seu Basset Hound em ótima forma dosando sua ração e alimentando seu cão duas vezes ao dia, ao invés de deixar comida disponível o tempo todo.

Coloração do pelo e limpeza

A sujeira e a umidade são repelidas pelo pelo do Basset, devido a seu pelo curto e alisado. Independentemente do clima, o pelo espesso do Basset é capaz de proteger o cachorro. O Basset tem uma fisionomia “caída” por causa de sua pelagem elástica e solta. Um tom amarelo e esbranquiçado é aceitável, mas dificilmente é visto. É bem possível notar Basset Hounds na cor cinza, mas essa cor não é desejável, pois é o produto de um dna recessivo que está ligado a vários distúrbios hereditários. Extremamente fácil de tomar conta, mesmo com a saliva excessiva e com o tratamento bem custoso dos ouvidos e das rugas. Os seus pelos curtos repelem a impureza e a umidade. Eles dificilmente precisam de banhos (a não ser que eles tenham rolado na sujeira). Escove o pelo de seu Basset toda semana e vai ver que não terá qualquer tipo de inconveniente com toda sua pelagem. As orelhas de Basset Hound são longas e arrastam-se pelo chão, o que pode deixá-las muito imundas. Como o ar não circula corretamente pelos ouvidos interiores, eles são suscetíveis de ter problemas nos ouvidos. Higienize o ouvido dos Bassets pelo menos de semana em semana, com o intuito de evitar quaisquer distúrbios vindouros. Pra limpar as rugas, utilize um pano umedecido e, logo após, abaixe-as totalmente, e a toda a hora observe as patas para não juntar sujeiras e o lado de fora das orelhas a fim de não permitir muita sujeira aglomerada. Previna o hálito ruim e a gengivite escovando os dentes de seu cão regularmente. Uma vez de quinze em quinze dias apare as unhas do seu Basset. Se, ao andar, tiver qualquer barulho, logo está na hora de aparar as garras do seu cachorro. As garras cortadas mantêm os pés em boas situações e evitam os arranhados nas suas pernas quando seu Basset Hound salta em cima de você com fascínio para cumprimentá-lo. Comece a familiarizar seu Basset Hound a ser penteado e avaliado no momento em que ele ainda é um bebêzinho. Manuseie as pernas dele com periodicidade e veja dentro da boca e das orelhas do seu espécime o quanto for possível. Vá habituando-o com enaltecimentos e belas guloseimas recompensadoras, dessa forma as visitas ao veterinário serão mais simples e sem empecilhos.

Crianças e outros animais domésticos

Basset Hounds gostam de crianças pequenas e conseguem se dar bem com elas. Porém jamais deixe que uma criança monte no seu cãozinho, porque sua coluna é lesionada tranquilamente, e, em especial, que elas jamais os maltratem. Sempre oriente as crianças a não se achegarem ou baterem nos cães que jamais viram e constantemente supervisione as relações entre cachorros e crianças pequenas com o objetivo de prevenir alguma mordida ou orelhas e rabos puxados. A gente entende que um cão nunca gosta enquanto está alimentando-se e uma pessoa chega perto, portanto avise a seus filhos para jamais aproximar-se. Até com gatos o Basset pode se sociabilizar, especialmente quando filhotinhos.